Contribuinte com bens no exterior pode antecipar recursos

Banco Central publicou normas que asseguram aos bancos que recursos antecipados pelo contribuinte sejam totalmente usados para o pagamento dos tributos devidos

	Dinheiro: Banco Central publicou normas que asseguram aos bancos que recursos antecipados pelo contribuinte sejam totalmente usados para o pagamento dos tributos devidos
 (Marcos Santos/USP Imagens)
Dinheiro: Banco Central publicou normas que asseguram aos bancos que recursos antecipados pelo contribuinte sejam totalmente usados para o pagamento dos tributos devidos (Marcos Santos/USP Imagens)
Por Da RedaçãoPublicado em 29/07/2016 17:19 | Última atualização em 29/07/2016 17:19Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os contribuintes com bens no exterior poderão antecipar a entrada de recursos no país para pagar os impostos referentes a esses capitais. A Receita Federal publicou hoje (29) no Diário Oficial da União instrução normativa que facilita a regularização de ativos externos.

Em nota, o Ministério da Fazenda informou que alguns contribuintes não tinham dinheiro no país para pagar os tributos, condição essencial para a regularização, também chamada de repatriação.

Por isso, a pasta decidiu permitir que a entrada dos recursos seja antecipada, desde que o dinheiro seja usado exclusivamente para esse fim.

Além da instrução normativa, o Banco Central publicou normas que asseguram aos bancos que os recursos antecipados pelo contribuinte sejam totalmente usados para o pagamento dos tributos devidos. Algumas instituições financeiras não permitiam a entrada desses recursos por alegarem ser necessário que o Banco Central e a Receita esclarecessem as normas da Lei de Repatriação.

Uma das principais medidas para reforçar o caixa do governo em ano de crise econômica, a regularização de ativos no exterior, começou a vigorar em abril e vai até 31 de outubro.

Os contribuintes com recursos mantidos legalmente em outros países poderão regularizar a situação fiscal no país. Os ativos poderão ser mantidos no exterior ou serem repatriados ao Brasil, desde que o contribuinte pague 15% de Imposto de Renda e 15% de multa.

A medida deverá ajudar a acelerar a entrada de recursos, com a regularização. O governo espera arrecadar R$ 21 bilhões com o procedimento. Até agora, cerca de R$ 8 bilhões entraram nos cofres federais.

Veja Também

Presidente do BC diz que o pior da inflação já passou
Economia
Há 5 horas • 3 min de leitura

Presidente do BC diz que o pior da inflação já passou

Ibiuna adota mantra "cauteloso" e evita aposta grande em Brasil
Mercados
Há 10 horas • 4 min de leitura

Ibiuna adota mantra "cauteloso" e evita aposta grande em Brasil

Vamos frear o processo inflacionário, afirma Campos Neto
Economia
Há 11 horas • 5 min de leitura

Vamos frear o processo inflacionário, afirma Campos Neto

Varejo adota a loja-contêiner para fugir de custos
Negócios
Há um dia • 5 min de leitura

Varejo adota a loja-contêiner para fugir de custos