Live icon 

ELEIÇÕES 2022:  

Lula e Bolsonaro vão disputar o segundo turno Veja agora.

Contas de luz de clientes de 10 distribuidoras vão cair; veja lista

Quedas nas tarifas resultam de devolução de tributos cobrados a mais dos consumidores
Conta de Luz: As tarifas serão reduzidas por conta da lei aprovada pelo Congresso Nacional que determina a devolução aos consumidores do PIS/Cofins (imposto federal) cobrado a mais nas contas de luz (Brunorbs/Getty Images)
Conta de Luz: As tarifas serão reduzidas por conta da lei aprovada pelo Congresso Nacional que determina a devolução aos consumidores do PIS/Cofins (imposto federal) cobrado a mais nas contas de luz (Brunorbs/Getty Images)
A
Agência O Globo

Publicado em 13/07/2022 às 06:50.

Última atualização em 13/07/2022 às 07:36.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) determinou, nesta terça-feira, descontos nas tarifas de energia elétrica de dez concessionárias. A medida foi tomada por causa de uma lei aprovada pelo Congresso Nacional, que determina a devolução aos consumidores do PIS/Cofins (imposto federal) cobrado a mais nas contas de luz.

Veja quais são as distribuidoras e os descontos na conta de luz:

  • Energisa Borborema (Paraíba): - 5,26%
  • Enel RJ (estado do Rio de Janeiro): - 4,22%
  • CPFL Santa Cruz (São Paulo, Minas Gerais e Paraná): - 2,32%
  • CPFL Paulista (estado de São Paulo): - 2,44%
  • Energisa Sergipe (Sergipe): - 4,47%
  • Enel CE (Ceará): - 3,01%
  • Neoenergia Coelba (Bahia): - 0,50%
  • Neoenergia Cosern (Rio Grande do Norte): - 1,54%
  • Neoenergia Pernambuco - Celpe (Pernambuco): - 4,07%
  • Sulgipe (Sergipe): - 4,88%

As tarifas serão reduzidas por conta da lei aprovada pelo Congresso Nacional que determina a devolução aos consumidores do PIS/Cofins (imposto federal) cobrado a mais nas contas de luz. Esse projeto foi aprovado como parte da ofensiva do governo para reduzir os preços da energia e dos combustíveis, diante da alta da inflação e também da proximidade do período eleitoral.

As redução das tarifas se deve à retirada do ICMS (tributo estadual) da base de cálculo do PIS/Cofins (tributos federais), determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O STF considerou ilegal inserir o ICMS na base de cálculo do imposto federal. Essa decisão gerou um crédito em benefício aos consumidores, que foi quem pagou a mais nas contas.

O crédito habilitado pela Receita Federal, a quem cabe devolver o recurso, já chega a R$ 48,3 bilhões. Desse valor, R$ 12,6 bilhões já foram revertidos para as tarifas de energia. O restante poderá ser usado em benefício do consumidor.

As distribuidoras de energia têm suas tarifas reajustadas todos os anos. Isso já aconteceu para diversas distribuidoras neste ano, como no caso da Light e da Enel Rio.

Depois desses reajustes, o Congresso aprovou e Bolsonaro sancionou uma lei que determina a devolução do PIS/Confins cobrado a mais de consumidores. Para atender a essa lei, a Aneel então irá reviu as tarifas já aprovadas. Para os reajustes que ainda vão ocorrer, a Aneel já vem aplicando as regras.

A Light, que atende a região metropolitana do Rio, também deveria ter suas tarifas reduzidas nesta terça-feira. A empresa, porém, conseguiu uma decisão judicial que determinou à Aneel o adiamento da redução. Ao GLOBO, a Light disse que não se opõe à revisão tarifária, mas sim à sua realização “sem a prévia e necessária consulta pública, exigida por lei e pelos próprios regulamentos de revisão tarifária”.

LEIA TAMBÉM: 

União Europeia alerta sobre risco de corte absoluto do gás da Rússia