Comércio do G-20 desacelera no 2º trimestre, contido por dólar forte, diz OCDE

Medidas em dólares, as exportações e importações do G-20 cresceram 2,1% e 2,6%, respectivamente
A OCDE atribui parte da desaceleração ao avanço do dólar em relação a outras moedas principais durante o segundo trimestre (Antoine Antoniol/Bloomberg)
A OCDE atribui parte da desaceleração ao avanço do dólar em relação a outras moedas principais durante o segundo trimestre (Antoine Antoniol/Bloomberg)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 23/08/2022 às 09:40.

O comércio de bens do G-20, como é conhecido o grupo das 20 maiores economias do mundo, desacelerou significativamente em termos de valores no segundo trimestre de 2022, segundo relatório publicado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nesta terça-feira, dia 23.

Medidas em dólares, as exportações e importações do G-20 cresceram 2,1% e 2,6%, respectivamente, entre abril e junho. No primeiro trimestre, os avanços haviam sido de 4,8% e 6,2%.

A OCDE atribui parte da desaceleração ao avanço do dólar em relação a outras moedas principais durante o segundo trimestre. Em termos nominais, o comércio do G-20 segue em expansão em meio à alta dos preços das commodities, exacerbada pelos efeitos da guerra na Ucrânia, destaca a OCDE.

Veja também: 

Mercado reduz previsão para inflação este ano, após 19 semanas em alta, aponta Boletim Focus

Em meio à crise imobiliária, China terá US$ 29 bi em crédito para retomada da construção de imóveis