Com bandeira vermelha, contas de luz seguem no maior patamar em setembro

Preço da energia elétrica no mercado de curto prazo segue próximo ao valor máximo estabelecido pela Aneel para o ano, sem perspectiva de melhora
Bandeira continua em seu patamar mais elevado em razão das condições hidrológicas desfavoráveis (Divulgação/Divulgação)
Bandeira continua em seu patamar mais elevado em razão das condições hidrológicas desfavoráveis (Divulgação/Divulgação)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 31/08/2018 20:14 | Última atualização em 31/08/2018 20:14Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde desta sexta-feira, 31, que a bandeira tarifária acionada para o mês de setembro será a vermelha - patamar 2, com custo de R$ 5 a cada 100 quilowatts-hora (KWh) consumidos.

Conforme salientou a agência reguladora, a bandeira continua em seu patamar mais elevado em razão das condições hidrológicas desfavoráveis e da redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Diante desse fatores, o preço da energia elétrica no mercado de curto prazo, tecnicamente conhecido como preço da liquidação das diferenças (PLD), segue próximo ao valor máximo estabelecido pela Aneel para o ano de 2018, sem perspectiva de melhora significativa do risco hidrológico (GSF). O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada.