Economia

China injeta 62 bilhões de euros no sistema financeiro

É a quarta injeção de liquidez consecutiva desde a semana passada e coincide com a véspera das férias do Ano Novo lunar


	Iuane: a instituição justifica as operações com a necessidade de garantir liquidez no sistema financeiro durante a principal festa chinesa
 (Getty Images)

Iuane: a instituição justifica as operações com a necessidade de garantir liquidez no sistema financeiro durante a principal festa chinesa (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de janeiro de 2016 às 09h01.

O Banco do Povo da China (PBOC, Banco Central) injetou hoje (26) 440 bilhões de yuan (62 bilhões de euros) no sistema financeiro do país, a maior operação do gênero desde fevereiro de 2013.

É a quarta injeção de liquidez consecutiva desde a semana passada e coincide com a véspera das férias do Ano Novo lunar, período marcado pelo aumento do consumo.

As operações foram feitas por meio de acordos de recompra (repos), mecanismo que pressupõe a recompra dos títulos vendidos dentro de um prazo estabelecido.

Desde que, no dia 19 de janeiro, o Gabinete Nacional de Estatísticas revelou crescimento da economia chinesa de 6,9% em 2015 - o ritmo mais lento dos últimos 25 anos - o PBOC fez quatro injeções de liquidez.

A instituição justifica as operações com a necessidade de garantir liquidez no sistema financeiro durante a principal festa das famílias chinesas, que começa em 8 de fevereiro.

A quantia investida no período supera em muito a do exercício de 2015, que foi de 80 bilhões de yuan.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaBancosCâmbioChinaFinançasIuaneMoedas

Mais de Economia

‘Problema dos gastos no Brasil não é ter os pobres no Orçamento’, diz Simone Tebet

Plano Real, 30 anos: Gustavo Loyola e as reformas necessárias para o Brasil crescer

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Mais na Exame