Economia

Caixa anuncia R$ 3 bilhões em linha de crédito para Santas Casas

Os financiamentos terão condições diferenciadas, com juros mais baixos e carência no pagamento das parcelas; a nova linha de crédito terá juros menores do que o praticado anteriormente

Caixa: para as instituições que já têm empréstimos junto ao banco, a Caixa vai fazer uma pausa na cobrança das parcelas (SILVIO AVILA / AFP/Getty Images)

Caixa: para as instituições que já têm empréstimos junto ao banco, a Caixa vai fazer uma pausa na cobrança das parcelas (SILVIO AVILA / AFP/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 25 de março de 2021 às 18h57.

A Caixa anunciou uma linha de crédito de R$ 3 bilhões para empréstimos às Santas Casas e Hospitais Filantrópicos. Os financiamentos terão condições diferenciadas, com juros mais baixos e carência no pagamento das parcelas.

As medidas já haviam sido divulgadas na semana passada, mas nesta quinta-feira, 25, o presidente da República, Jair Bolsonaro, promoveu uma cerimônia no Palácio do Planalto para divulgar a iniciativa. O evento contou com a presença de ministros e do presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

A nova linha de crédito terá juros 42% menores do que o praticado anteriormente. A taxa é a partir de 0,29% ao mês mais o CDI. O custo total ficará em torno de 6,3% ao ano. O prazo será de até 120 meses (maior que nos contratos atuais, que financiam em até 84 meses), com carência de seis meses até o início das cobranças.

Segundo Guimarães, a mudança nas condições é fundamental para reduzir os juros às Santas Casas e vai permitir à Caixa elevar o volume dos empréstimos às instituições.

Hoje, o banco tem em sua carteira R$ 3,4 bilhões emprestados a 286 Santas Casas. "Queremos emprestar a pelo menos 1.000 Santas Casas a mais", disse o presidente da Caixa.

Para as instituições que já têm empréstimos junto ao banco, a Caixa vai fazer uma pausa na cobrança das parcelas, por um período de 180 dias. Nesse intervalo, não será necessário pagar nem juros, nem o principal do débito.

Guimarães disse que a proposta de uma nova linha de crédito para as Santas Casas partiu de uma conversa com Bolsonaro. Mas ele ressaltou que a decisão foi "matemática". "A Caixa vai ganhar dinheiro com essa linha", disse. "Neste governo, a Caixa nunca ganhou tanto dinheiro, nem reduziu tanto os juros", acrescentou.

Acompanhe tudo sobre:CaixaCoronavírusHospitaisHospitais públicosPandemiaPedro Guimarães

Mais de Economia

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Lula diz que ainda vai decidir nome de sucessor de Campos Neto para o BC

Banco Central aprimora regras de segurança do Pix; veja o que muda

Mais na Exame