Brasil pede cautela com fundo mundial contra narcotráfico

Ministro José Eduardo Cardozo elogiou proposta francesa de criação de um mecanismo internacional para financiar luta contra as drogas, mas pediu mais negociação

Paris - O ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, se mostrou nesta terça-feira cauteloso perante a iniciativa da Presidência francesa do Grupo dos Oito (G8, bloco de país ricos) de criar um fundo internacional para a luta contra o narcotráfico financiado essencialmente com os bens apreendidos dos traficantes de drogas.

"Não temos nada contra a criação desse fundo, mas agora temos que analisar a proposta e vamos discuti-la", assinalou Cardozo em um encontro com a imprensa ao final da conferência em Paris sobre a luta contra o tráfico de entorpecentes organizada pelo G8.

O ministro insistiu que se trata de um estudo preliminar da iniciativa do presidente francês, Nicolas Sarkozy, para que a ação internacional contra o narcotráfico possa dispor de fundos confiscados aos que se beneficiam com o negócio da droga.

Cardozo ressaltou a importância de um fórum como o convocado nesta terça-feira porque reúne alguns dos grandes países produtores e consumidores de drogas e permite abordar um enfoque global.

No encontro participaram, além dos membros do G8 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia), outros 14 países convidados: África do Sul, Argélia, Bolívia, Brasil, Colômbia, Espanha, Gana, Marrocos, México, Nigéria, Holanda, Peru, a República Dominicana e Senegal.

Cardozo aproveitou a ocasião para reunir-se com os ministros franceses de Interior, Claude Guéant, e da Justiça, Michel Mercier, com os quais abordou a recuperação dos corpos das vítimas do acidente do avião da Air France que caiu no Oceano Atlântico no dia 1 de junho de 2009 quando percorria a rota entre Rio de Janeiro e Paris.

Relacionado a essa questão, Cardozo insistiu que "estamos juntos com o Governo francês para o esclarecimento do acidente" e mostrou seu apoio ao organismo francês encarregado da investigação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.