Economia

Brasil melhora, mas continua no top 10 dos países mais difíceis para negócios no mundo

País está na 7ª posição em lista de nações mais complexas para empresas, Grécia e França lideram ranking que analisou 79 locais

Brasil ficou em 7º lugar em lista de complexidade para fazer negócios (FG Trade/Getty Images)

Brasil ficou em 7º lugar em lista de complexidade para fazer negócios (FG Trade/Getty Images)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 29 de maio de 2024 às 09h00.

Última atualização em 29 de maio de 2024 às 12h05.

O Brasil melhorou de posição, mas ainda é um dos países mais complexos do mundo para fazer negócios aponta o relatório GBCI (Índice Global de Complexidade Corporativa), divulgado nesta terça, 29.

O estudo avaliou as condições em 79 países e juridições. Em 2022, o Brasil estava na 1ª posição na lista de locais onde é mais complexo fazer negócios. Em 2023, estava em terceiro. Neste ano, o país ficou em 7º lugar, tanto por ter melhorado quanto pela piora de outras nações. A lista atual é liderada por Grécia e França. Veja o top 10 ao final da reportagem.

Carolina Secches, diretora no Brasil da Global Entity Management da TMF Group, entidade que produz o estudo, aponta que a mudança do Brasil no ranking se deve mais à piora dos outros países do que a melhoras próprias.

"O Brasil sempre foi um país complexo, mas temos observado um movimento significativo em direção à simplificação nos últimos anos. Esforços têm sido feitos para fomentar o investimento estrangeiro, com avanços importantes na regulamentação cambial e nas políticas tributárias", diz Secches.

"Embora ainda haja desafios, o ambiente regulatório tem se tornado menos complexo, criando um cenário mais favorável e previsível para investidores estrangeiros. Essas mudanças são cruciais para atrair capital e estimular o crescimento econômico sustentável no Brasil", prossegue.

A diretora comenta ainda que a Reforma Tributária, um dos principais esforços do Brasil para simplificar negócios, ainda deve demorar a trazer resultados práticos, já que a regulamentação está em debate e as mudanças reais só começam em 2026, se tudo ocorrer como esperado. "Ainda tem muita água para rolar até a definição final. Os impactos vão ser muito específicos em cada setor", diz.

Sobre os lideres do ranking de dificudade, Secches comenta que as leis trabalhistas mais fortes na Grécia e na França estão entre as razões para a dificuldade em fazer negócios ali. Veja abaixo as listas de páises mais e menos complexos para fazer negócios, segundo o TMF Global.

Os países mais complexos para fazer negócios:

1º Grécia
2º França
3º Colômbia
4º México
5º Bolívia
6º Turquia
7º Brasil
8º Itália
9º Peru
10º Cazaquistão

Os países e lugares mais fáceis para fazer negócios:

1º Ilhas Cayman
2º Curaçao
3º Dinamarca
4º Hong Kong
5º Nova Zelandia
6º Holanda
7º Reino Unido
8º Jersey
9º Ilhas Virgens Britânicas
10º Jamaica

Fonte: GBCI (Índice Global de Complexidade Corporativa).

Acompanhe tudo sobre:BurocraciaReforma tributária

Mais de Economia

FGV terá indicadores para medir riscos de corrupção em empresas de saúde

“Governo está metendo a mão, querendo taxar tudo e com juros desse jeito”, critica Rubens Ometto

Fim de compensação de PIS/Cofins pode criar calote de R$ 29,2 bi, semelhante ao dos precatórios

Dirigente do banco central europeu fala que corte foi decisão essencial

Mais na Exame