A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Brasil cai 11 posições em ranking de dinamismo global

Brasil cai forte no Índice de Dinamismo Global da Economist Intelligente Unit (EIU), enquanto China é catapultada do 20º para o 3º lugar,

São Paulo - O Índice de Dinamismo Global divulgado ontem trouxe más notícias para o Brasil. No ano passado, quando 50 economias foram avaliadas, o país havia ficado no 31º lugar, com nota 55,1 de 100. Em 2013, ficou com nota 47,9 e caiu 11 posições, ficando em 42º lugar entre 60 economias.

O Índice está na sua segunda edição e é realizado pela Economist Intelligence Unit (EIU) em parceria com a consultoria Grant Thornton.

São analisados 22 indicadores em cinco categorias: ambiente operacional de negócios, ciência e tecnologia, trabalho e capital humano, ambiente de financiamento e economia e crescimento.

O topo do ranking ficou com a Austrália, que estava em 7º lugar no ano passado. Na vice-liderança está o Chile, que pulou nove posições.

Chama atenção a escalada da China, que foi catapultada do 20º lugar em 2012 para o 3º em 2013. Só as Filipinas subiram mais: 25 posições, do 46º lugar para o 21º. O terceiro maior crescimento foi o da Venezuela, que pulou do 50º para o 35º lugar.

As maiores quedas foram da Argentina (de 34º para 53º), Itália (de 38º para 57º) e Holanda (de 21º para 38º). A Grécia amargou o último lugar.

Brasil

O Brasil teve números inalterados nos quesitos ambiente operacional de negócios, qualidade da regulação do sistema financeiro e impostos corporativos. 

Houve queda nas taxas de crescimento de assinantes de banda larga, gasto com tecnologia de informação e consumo privado. 

Os índices que mais puxaram para baixo o resultado brasileiro, no entanto, foram a queda de crescimento, da produtividade e do valor das aquisições e fusões realizadas. A melhora mais evidente foi no crédito do setor privado como parcela do PIB: de 4% para 5%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também