Bolsonaro: Guedes quer acabar com IPI e apresentar proposta de compensação

Segundo o presidente, o IPI é "muito alto no Brasil". "É geladeira, fogão, bicicleta. Obviamente deve haver compensação do outro lado", afirmou

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (15) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem estudado uma forma de acabar com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dentro de uma das frentes de propostas da Reforma Tributária, em andamento no Congresso.

A política vai seguir dando o tom na bolsa? Vai. E você pode aproveitar as oportunidades.  Aprenda a investir com a EXAME Academy

"Temos estudado muita coisa (na Reforma Tributária). Graças a Deus não tem vazado, porque a grande mídia (destaca) a parte ruim e divulga", disse Bolsonaro durante entrevista à SIC TV, afiliada da TV Record em Rondônia. Segundo o presidente, o IPI é "muito alto no Brasil". "É geladeira, fogão, bicicleta. Obviamente deve haver compensação do outro lado", afirmou.

Bolsonaro também voltou a tratar da redução de impostos federais sobre combustíveis. De acordo com o presidente, a medida, entretanto, não teve efeito para conter a alta nos preços. "Não adiantou eu fazer isso porque alguns governadores aumentaram o ICMS quando eu (reduzi) o PIS/Cofins. Então ficou quase que no zero a zero", disse. Apesar da fala do presidente, o aumento citado por Bolsonaro foi feito para cesta de produtos e não apenas para os combustíveis. Em Estados como São Paulo, a mudança aconteceu pela revogação de benefícios tributários. "Diminuir o preço na refinaria não chega na bomba, já aumentar chega imediatamente", completou Bolsonaro.

O presidente também lamentou não ter prosperado no Congresso a ideia do governo federal de impor um ICMS único a todos os Estados brasileiros. Porém, Bolsonaro afirmou ter recebido do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o compromisso de votar, "amanhã ou na semana que vem, no máximo", o projeto que estabelece valor nominal para incidência do ICMS.

  • Juros, dólar, inflação, BC, Selic. Entenda todos os termos da economia. Assine a EXAME 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também