Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Bolsonaro desiste de Renda Brasil, e Bolsa Família segue no formato atual

Presidente afirmou que o governo não irá congelar aposentadorias ou reduzir auxílios a idosos e deficientes para financiar criação do programa

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que o governo não irá mais criar o programa Renda Brasil e continuará apenas com o Bolsa Família.

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o presidente disse que o governo não irá congelar aposentadorias ou reduzir auxílios a idosos e deficientes para financiar o programa, e que não vai aceitar propostas deste tipo.

Bolsonaro citou manchetes de jornais que diziam que o Ministério da Economia considerava interromper reajustes nos salários de aposentados para garantir receitas para o novo programa.

O Renda Brasil pretendia aumentar o valor do Bolsa Família para um patamar próximo das últimas parcelas do auxílio emergencial, que terminará 2020 no valor de R$ 300.

"Eu já disse que não posso tirar dos pobres para dar aos paupérrimos. Quem por ventura aparecer com uma proposta dessa, eu só posso dar um cartão vermelho", disse o presidente.

"Até 2022, no meu governo, está proibido falar em Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família", disse Bolsonaro

Nas últimas semanas, o Palácio do Planalto e o Ministério da Economia estavam tentando encontrar fontes de financiamento para o programa. A equipe de Paulo Guedes chegou a propor cortes de outros programas sociais, como a Farmácia Popular e o abono salarial, para compensar o aumento no valor.

O Ministério também indicou que o fim de abatimentos no Imposto de Renda da Pessoa Física poderia ajudar na composição do aumento de gastos. Bolsonaro, no entanto, vetou todas as opções.

O governo federal pretendia aumentar o valor do Bolsa Família para manter a popularidade alcançada pelo pagamento do auxílio emergencial, criado devido à pandemia do novo coronavírus. Além disso, esse benefício temporário revelou que o Bolsa Família ainda deixa de atender parte da população carente, a quem Paulo Guedes chamou de "invisíveis".

A mudança no nome de Bolsa Família para Renda Brasil também tinha a intenção de desassociar o programa dos governos petistas de Lula e Dilma Rousseff.

 

Na manhã desta terça, Bolsonaro chamou o ministro da Economia, Paulo Guedes, para uma reunião de emergência.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também