Economia

BNDES suspende pagamento de empréstimos do Aeroporto Salgado Filho, no RS, por 12 meses

Salgado Filho está fechado desde 3 de maio após ser impactado pelas fortes chuvas que atingiram o estado

Sede do BNDES, em Brasília (DF) (Miguel Ângelo/CNI/Flickr/Divulgação)

Sede do BNDES, em Brasília (DF) (Miguel Ângelo/CNI/Flickr/Divulgação)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 12 de junho de 2024 às 14h07.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 14h09.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a suspensão temporária do pagamentos de empréstimos pela Fraport, concessionária responsável pelo Aeroporto Internacional de Porto Alegre (Salgado Filho). A interrupção de 12 meses já poderá valer a partir da parcela de junho. Durante o período, não haverá cobrança de valores adicionais e o cliente não será considerado inadimplente financeiro.

A iniciativa foi aprovada por meio do Programa de Suspensão de Pagamentos para Operações de Empresas e Produtores Rurais do Rio Grande do Sul.

O Salgado Filho está fechado desde 3 de maio após ser impactado pelas fortes chuvas que atingiram o estado gaúcho. A recuperação custará R$ 1 bilhão e a previsão é que ele volte a operar em dezembro, segundo a Fraport.

Em 2018, o BNDES aprovou financiamento de R$ 1,25 bilhão à Fraport Brasil para ampliação, modernização e manutenção da infraestrutura do Aeroporto Salgado Filho. Com prazo de 20 anos na modalidade Project Finance, o apoio correspondeu a mais de 60% do total de R$ 1,6 bilhão investido.

O banco aprovou também liberação de todo o saldo existente em conta reserva - separada para despesas com o empréstimo. No entanto, ela deve ser recomposta proporcionalmente pelos 12 meses subsequentes ao término do período, contado a partir da última parcela suspensa.

RSC-287

Outra operação beneficiada pela suspensão do pagamento da dívida foi a Rodovia Rota de Santa Maria (RSC-287), que sofreu danos estruturais severos com as enchentes, sendo interditada em vários trechos.

Com 204,5 km de extensão, a rodovia, administrada pela empresa Rota de Santa Maria, sob o regime de concessão, liga os municípios de Tabaí a Santa Maria.

O BNDES aprovou a alteração da data de vencimento (de 15/12/46 para 15/12/47) das debêntures emitidas pela concessionária Rota de Santa Maria. Em junho de 2023, com a subscrição de 100% por parte do banco em oferta pública de debêntures, foram captados R$ 250 milhões.

Acompanhe tudo sobre:BNDESRio Grande do Sul

Mais de Economia

Reforma Tributária deve ser votada na próxima semana; entenda proposta e o cronograma

Reforma Tributária: deputados mantêm tributação de fundos de pensão e setor quer isenção no plenário

Aéreas vão pagar menos imposto se transportarem 600 pessoas por dia em voos regionais

Reforma Tributária: Carne fora da cesta básica, absorvente isento e imposto para carro elétrico

Mais na Exame