BC: quadro é muito recente para se avaliar impacto na inflação

O chefe do Departamento Econômico do BC disse que o índice de inflação deve "cair um pouco mais" até julho e agosto

Fortaleza – O chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel, considerou nesta sexta-feira, 19, que ainda é cedo para avaliar os impactos da nova crise política na inflação e na atividade econômica.

“O quadro de incertezas ainda é muito recente, não dá para fazer uma avaliação dessas implicações. É preciso aguardar um pouco mais”, disse Maciel, após apresentação do boletim regional do BC, em Fortaleza.

Durante a apresentação, Maciel havia afirmado que o processo desinflacionário é robusto e que o índice de inflação deve cair um pouco mais até julho e agosto.

O chefe do Departamento Econômico do BC disse que o índice de inflação deve “cair um pouco mais” até julho e agosto. “O processo desinflacionário é robusto e não se dá por um fator pontual ou passageiro”, comentou, sem citar a disparada do dólar ocorrida na quinta-feira, como possível risco à inflação.

Inadimplência

Em outro momento da apresentação, ao falar das perspectivas para a melhora do mercado de crédito no Brasil, Maciel afirmou que as taxas de inadimplência entre as famílias estão “muito bem comportadas”.

Atividade

Em relação à atividade econômica, Maciel ressaltou que boa parte da recuperação se dá pelo lado da oferta, no agronegócio, e que essas condições favoráveis seguem prevalecendo, o que pode, na sua avaliação, acabar contendo os efeitos da crise política em regiões onde o agronegócio é mais forte.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.