BC interrompe compra diária de dólares no mercado à vista

A suspensão ocorre em um período de forte valorização da moeda norte-americana

Brasília – Pela primeira vez no ano, o Banco Central (BC) não foi hoje (14) ao mercado de câmbio comprar a moeda norte-americana, como tem feito em todos os dias úteis, às vezes com duas e até três intervenções, nos mercados à vista e a termo (de operações futuras), com o objetivo de reduzir a oferta de dólares e conter a valorização do real.

A suspensão, hoje, da compra de dólares foi confirmada pelo Departamento de Operações das Reservas Internacionais (Depin) e ocorre em um período de forte valorização da moeda norte-americana, que completou dez pregões seguidos em alta nesta quarta-feira e soma ganhos acumulados de 8,45% no mês. A valorização de 0,58% no dia elevou a cotação do dólar para R$ 1,722 na compra e de R$ 1,724 na venda, retornando a valores de novembro do ano passado.

Enquanto o dólar se recupera, o mercado de ações também esboça reação com base no documento conjunto dos governos da Alemanha e da França que manifesta credibilidade nas negociações que a Grécia vem fazendo para evitar que o temido calote (não pagamento da dívida) se concretize.

A confiança demonstrada pelos dois maiores credores da Grécia fez com que as bolsas da Europa operassem em alta hoje (Alemanha +3,36%, França +1,87%, Grécia +1,72%, Inglaterra +1,02%, Itália +2,69% e Portugal +1,39%). O otimismo europeu também favoreceu a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que terminou o dia com o seu principal índice, o Ibovespa, com ganhos de 1,27%, aos 56.286 pontos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.