Cada ente público terá seu próprio risco de crédito, diz BC

CMN mudou a forma como as instituições financeiras avaliam o risco dos entes públicos para a concessão de crédito

Brasília - O Conselho Monetário Nacional (CMN) mudou a forma como as instituições financeiras avaliam o risco dos entes públicos para a concessão de crédito. Antes, todas as empresas e entes tinham seus riscos somados.

Agora, eles serão avaliados em separado. A medida pode ampliar a liberação de crédito para determinadas empresas. No entanto, o Banco Central afirmou que essa expansão é insignificante.

"A medida não tem alteração significativa no limite de crédito das empresas do setor público", garantiu Caio Ferreira, chefe do departamento de Regulação Prudencial e Cambial do BC.

Ele afirmou ainda que a medida não foi tomada com o objetivo de beneficiar nenhuma empresa. "Foi apenas um ajuste às regras internacionais", observou. Ainda segundo o BC, alteração de limite evita exposição excessiva do cliente. (

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.