Argentina oficializa acordo "Stand-By" ao FMI para atenuar crise do peso

Diretora-gerente do FMI não revelou o montante do programa de empréstimo, mas analistas estimam que o pedido seja de US$ 30 bilhões

Washington, 10 mai (EFE).- A Argentina pediu formalmente nesta quarta-feira ao Fundo Monetário Internacional (FMI) um Acordo Stand-By para enfrentar a crise provocada pela forte desvalorização do peso em relação ao dólar nos últimos dias.

"O ministro da Fazenda da Argentina, Nicolás Dujovne, solicitou que nossas equipes trabalhem juntas visando um Acordo Stand-By de alto acesso para apoiar o programa econômico integral do país", indicou a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, em comunicado divulgado depois de se reunir com Dujovne.

Lagarde não revelou o montante do programa de empréstimo, mas analistas estimam que o pedido seja de US$ 30 bilhões. O tipo de acordo condiciona a Argentina ao cumprimento de determinados objetivos macroeconômicos para receber o dinheiro do FMI.

Ajuda internacional

O ministro de Finanças da Argentina, Luis Caputo, revelou nesta quinta-feira que, além do Fundo Monetário Internacional (FMI), o país também pediu ajuda financeira ao Banco Mundial (BM), ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.