Argentina estuda corte temporário de impostos de exportações

A exportação de soja é vista como elemento-chave nos esforços para sustentar o peso, a moeda com pior desempenho do mundo nos últimos cinco anos

O governo argentino avalia o corte temporário de alguns impostos de exportação para impulsionar a entrada de dólares, diante da queda das reservas internacionais para o menor nível em três anos, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

Autoridades ainda discutem quais produtos seriam incluídos na medida, o percentual de redução do imposto e como seria aplicado, disse uma das pessoas, que pediu para não ser identificada. As medidas poderiam ser anunciadas para a soja na quarta-feira para serem aplicadas em outubro, disse outra pessoa.

Um porta-voz do Ministério da Economia não respondeu a um pedido de comentário.

As exportações de soja são vistas como elemento-chave nos esforços para sustentar o peso, a moeda com pior desempenho do mundo nos últimos cinco anos com base no retorno à vista. Em 2019, por exemplo, os embarques de soja somaram US$ 17,9 bilhões, ou 27% das vendas totais da Argentina ao exterior.

Agricultores da Argentina têm evitado vender soja para exportadores porque a taxa de câmbio oficial está sobrevalorizada. Até 16 de setembro, ainda não haviam vendido ou precificado contratos para 52% da colheita encerrada em junho. Os preços da soja e do farelo subiram muito nas últimas semanas, então há uma oportunidade de trazer mais dólares com exportações.

O país aumentou os controles de capital em 15 de setembro na tentativa de segurar dólares enquanto as reservas diminuem. A medida não surtiu efeito, pois as reservas continuaram a cair. A diferença entre as taxas de câmbio oficial e paralela do país aumentou diante da corrida dos argentinos por dólares para preservar o valor de suas economias.

As reservas líquidas estimadas são de US$ 4,6 bilhões, de acordo com a Portfolio Personal Inversiones.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também