Argentina entra oficialmente em recessão após resultados do PIB do 3º tri

A economia argentina, que passa por uma forte crise cambial, amargou no terceiro trimestre um recuo de 3,5% em relação ao mesmo período de 2017

São Paulo – A economia da Argentina entrou, oficialmente, em recessão entre julho e setembro, após ter apresentado dois trimestres consecutivos de declínio econômico, de acordo com dados apresentados nesta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec) do país.

O Produto Interno Bruto (PIB) mostrou que a economia argentina se contraiu 0,7% no terceiro trimestre em relação aos três meses imediatamente anteriores. Em relação ao mesmo período de 2017, o PIB argentino amargou recuo de 3,5%.

“Acreditamos que o declínio trimestre pode ser atribuído à combinação de uma tentativa de recuperação do setor agrícola após o recuo acentuado registrado no segundo trimestre como resultado da seca e de uma forte contração em grande parte de outros setores como resultado da crise cambial no país”, afirmaram analistas do Barclays, em nota a clientes. O banco britânico projetava uma contração de 3,5% na economia argentina entre julho e setembro.

No segundo trimestre, o PIB argentino apresentou contração de 4,1% em relação ao período entre janeiro e março e sofreu recuo de 4,0% na comparação com o mesmo período de 2017.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.