• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Após crise política, Focus já prevê corte de juros menor em maio

Mercado vinha apostando em um corte de 1,25 ponto no final deste mês, porém o cenário mudou após as denúncias contra o presidente Michel Temer
Copom: mercado passou a apostar em um corte mais moderado dos juros na reunião do comitê neste mês (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Copom: mercado passou a apostar em um corte mais moderado dos juros na reunião do comitê neste mês (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 22/05/2017 09:16 | Última atualização em 22/05/2017 09:29Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - Economistas de instituições financeiras voltaram a reduzir a perspectiva para a inflação tanto deste ano quanto do próximo na pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira.

Agora eles passaram a ver alta do IPCA de 3,92 por cento ao final deste ano, 0,01 ponto percentual a menos do que na semana anterior, na 11ª redução seguida. Para o ano que vem, a redução foi de 0,02 ponto, chegando a 4,34 por cento.

Já a perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) não foi alterada, ficando em 0,5 por cento em 2017 e 2,5 por cento no ano que vem.

Entretanto, os economistas consultados no levantamento podem não ter tido tempo de refletir em suas projeções as denúncias contra o presidente Michel Temer e a turbulência política no país, bem como a reação do mercado.

A expectativa para a taxa básica Selic continuou em 8,5 por cento ao final de 2017, com perspectiva de corte de 1 ponto percentual na reunião deste mês. Atualmente, a Selic está em 11,25 por cento.

Já o Top-5, grupo que reúne os que mais acertam as previsões, voltou a reduzir a previsão, a 8,13 por cento na mediana das estimativas, de 8,25 por cento na semana anterior.

O mercado vinha apostando em um corte de 1,25 ponto no final deste mês, porém o cenário mudou após as denúncias contra Temer e o mercado futuro de juros passou a precificar no fechamento de sexta-feira cerca de 85 por cento de chances de a Selic ser reduzida em 0,75 ponto percentual no encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) que termina em 31 de maio.

O temor no mercado é de que as reformas, principalmente da Previdência, emperrem no Congresso, afetando a recuperação da economia.

Para 2018, a pesquisa mostra manutenção do cenário de juros a 8,5 por cento, enquanto o Top-5 reduziu a estimativa a 8 por cento, de 8,13 por cento.