Al Gore: desmatar para reduzir pobreza é dar falsa esperança aos pobres

Sem citar Guedes, ex-vice-presidente dos EUA afirma em Davos que a solução sugerida pelo ministro da Economia brasileiro "não é sustentável"

Rio de Janeiro — O ex-vice presidente dos Estados Unidos, Al Gore, um dos principais líderes ambientais do mundo, rebateu o comentário feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o maior inimigo do meio ambiente é a pobreza. A declaração do americano foi feita nesta quarta-feira durante uma mesa sobre a Amazônia, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

Em reuniões com executivos de grandes empresas, também na manhã desta quarta, Guedes tentou esclarecer o que havia dito na véspera e disse que nenhum país deseja desmatar ou ver suas florestas incendiadas, citando inclusive a situação da Austrália, segundo relatos. A reunião foi fechada à imprensa.

Na mesa da qual participou Al Gore, em que estavam o cientista brasileiro Carlos Nobre, a primatologista britânica Jane Goodall e o presidente da Colômbia, Ivan Duque, o ex-vice-presidente foi questionado pela mediadora sobre os conflitos entre a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento.

Na pergunta, a responsável pela mesa lembrou que o Brasil frequentemente afirma que a pobreza é o principal inimigo da Amazônia.

— Hoje é amplamente entendido que o solo da amazônia é pobre, e que a riqueza dela não está no solo. Dizer para as pessoas, para parte dessas pessoas pobres, que elas vão chegar lá, com sonhos, cortar tudo e começar a plantar, e que terão colheitas por anos e anos, é dar falsas esperanças a elas. Não é sustentável. Há sim respostas para a Amazônia, mas não esta — afirmou.

Antes de responder indiretamente a declaração de Guedes, Gore ressaltou que os brasileiros não gostam que estrangeiros de outras nações se metam na questão da preservação da Amazônia.

— Os brasileiros sempre falam isso, que não é para pessoas de outras nações do mundo comentarem a questão amazônica. E isso deve ser respeitado — Eles moram lá, tem uma histórica e maneira própria de gerenciá-la. De todo modo, isso deve ser respeitado.

Na terça, durante uma mesa sobre manufatura e desenvolvimento da indústria 4.0, Guedes disse aos participantes que "a pior inimiga do meio ambiente é a pobreza".

Ao ser questionado sobre o medo da população com as transformações climáticas, o ministro disse que, se não há oportunidades de geração de renda, as pessoas destroem o meio ambiente porque "têm fome".

Após a declaração, o ministro tentou desfazer a impressão negativa deixada pelo comentário. Horas depois, ressaltou o compromisso do país com a preservação ambiental, citando criação da Força Nacional Ambiental, que terá como objetivo proteger a Floresta Amazônica.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.