Guerra pode deixar o pão mais caro? Preço do trigo é o maior desde 2008

A guerra e as implicações das amplas sanções dos EUA e da Europa à Rússia derrubaram os suprimentos do Mar Negro em um momento em que os estoques globais já estão apertados
 (Sanfel/Getty Images)
(Sanfel/Getty Images)
Por BloombergPublicado em 03/03/2022 11:34 | Última atualização em 04/03/2022 11:26Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por James Poole, da Bloomberg

O preço do trigo estende rali meteórico e passa de US$ 11 o bushel, no nível mais elevado em 14 anos após a invasão da Ucrânia pela Rússia paralisar virtualmente os embarques de uma das maiores áreas de cultivo do mundo.

A guerra e as implicações das amplas sanções dos EUA e da Europa à Rússia derrubaram os suprimentos do Mar Negro em um momento em que os estoques globais já estão apertados.

A Ucrânia e a Rússia embarcam mais de um quarto das exportações mundiais de trigo, e os combates fecharam portos, interromperam o transporte e cortaram a logística. A guerra também ameaça o plantio este ano na Ucrânia, já que os agricultores podem estar envolvidos nos combates e sementes e fertilizantes serão escassos.

A escassez provavelmente se estenderá para a próxima temporada, ou potencialmente ainda mais. Colheitas abundantes na América do Norte e em outras partes da Europa serão críticas neste verão para conter mais aumentos de preços.

Com os fluxos da região do Mar Negro prejudicados pela guerra, os compradores estão considerando contratos futuros para grãos australianos até o terceiro trimestre, disse o CBH Group.

O trigo subiu mais uma vez até o limite diário na quinta-feira, saltando 7,1%, para US$ 11,34 por bushel. Os preços subiram 50% no mês passado. Isso ajudou a elevar o índice agrícola da Bloomberg a um recorde e fomenta a inflação global de alimentos.

Isso ocorre em um momento em que o petróleo e outras commodities também estão subindo, forçando os bancos centrais a apertar a política monetária após anos de taxas extremamente baixas.

A Rússia e a Ucrânia também são grandes fornecedores de milho, cevada e óleo de girassol. Os preços do milho atingiram o nível mais alto desde 2012, enquanto o óleo de soja e o óleo de palma atingiram recordes.

Enquanto isso, a China, maior importador de milho e soja e um dos maiores compradores de trigo, se move para garantir suprimentos essenciais nos mercados globais, ajudando a elevar ainda mais os preços.

VEJA TAMBÉM:

Número de refugiados chega a 1 milhão na Ucrânia, diz ONU

Guerra na Ucrânia: bares trocam nome do ‘Moscow Mule’ e jogam vodka fora

Putin diz a Macron que Rússia pode aumentar exigências sobre Ucrânia

Rússia não tem como usar cripto para driblar sanções, dizem especialistas

Por que Putin já perdeu essa guerra, segundo Yuval Harari

Entenda por que ricos da Rússia trocaram rublos por relógios e joias

Brasil decide evacuar embaixada na Ucrânia