4 respostas sobre os efeitos do petróleo a US$ 50 para a economia mundial

O que a queda significa para o crescimento global? Como os mercados emergentes lidarão com a queda de preço? Quem se beneficia e quem se prejudica?

Apenas dois meses atrás, grandes tradings de petróleo projetavam que o barril voltaria a custar US$ 100. Agora, com os preços do petróleo na metade desse nível, confira um panorama do que essa queda significa para a economia mundial.

Importadores de energia, como a Índia e a África do Sul, serão beneficiados; produtores de petróleo, como a Rússia e a Arábia Saudita, serão prejudicados.

Os bancos centrais pressionados a elevar as taxas de juros terão um alívio; aqueles que pretendem revigorar os preços, como o Banco do Japão, enfrentarão mais um obstáculo.

Em última análise, muita coisa depende de como ficará a demanda mundial de petróleo à medida que for atingida por um dólar mais forte e pelos conflitos do comércio global, e de como os maiores produtores vão reagir.

A Arábia Saudita está entre a Rússia, sua aliada na gestão da produção para sustentar os preços, e os EUA, cujo presidente, Donald Trump, pede em mensagens enviadas pelo Twitter que o produtor baixe os preços.

Todas as atenções estão voltadas para a reunião desta semana do G-20 para ver se os sauditas e os russos chegarão a um consenso sobre a produção e se isso conseguirá se transladar à reunião da Opep na próxima semana.

O que a queda significa para o crescimento global?

O inverno do Hemisfério Norte se aproxima, e a queda do preço do petróleo protegerá as famílias e empresas durante um período de desaceleração do crescimento econômico. Países que importam petróleo e têm déficit em conta-corrente, como a África do Sul, também poderão se beneficiar.

A China é o maior importador de petróleo do mundo e já enfrenta uma moderação mais ampla em sua economia em meio à guerra comercial com os EUA e a desafios internos.

O que a queda significa para a inflação?

Preços mais baixos do petróleo significam menos pressão sobre a inflação e menos pressão sobre os bancos centrais para elevar as taxas de juros.

Um exemplo: a Bloomberg Economics afirma que a queda de preço da energia vira o jogo para a Índia e poderia significar que o Reserve Bank of India adotará uma perspectiva neutra.

Como os mercados emergentes lidarão com a queda de preço?

Cada queda de US$ 10 por barril nos preços do petróleo aumenta a renda em cerca de 0,5 por cento a 0,7 por cento do produto interno bruto nos principais importadores de petróleo do mercado emergente, de acordo com estimativas de analistas da Capital Economics.

O mesmo desconto causará uma perda de 3 por cento a 5 por cento do PIB na maioria das economias do Golfo e uma desaceleração de 1,5 por cento a 2 por cento do PIB nos Emirados Árabes Unidos, na Rússia e na Nigéria, todos em uma base anualizada, segundo os analistas.

O que a queda significa para a maior economia do mundo?

Trump descreveu a queda nos preços do petróleo como o equivalente a uma redução de impostos. Ainda assim, a diminuição da dependência americana do petróleo importado, devido ao surgimento da produção de xisto, enfraquecerá as consequências econômicas positivas para o setor industrial.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.