• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

Gestora brasileira lança ETF de bitcoin que compensa emissão de carbono

BITH11 será listado na bolsa de valores brasileira na primeira quinzena de agosto e aposta em pegada sustentável como principal diferencial de ETF concorrente
 (Getty Images/24K-Production)
(Getty Images/24K-Production)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 13/07/2021 16:04 | Última atualização em 22/07/2021 11:06Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A gestora brasileira Hashdex anunciou nesta terça-feira o lançamento do seu ETF de bitcoin, que será listado na bolsa de valores brasileira, a B3, na primeira quinzena de agosto.

Chamado "Hashdex Nasdaq Bitcoin Reference Price Fundo de Índice" (BITH11), o ETF aposta na neutralização da pegada de carbono da mineração dos bitcoins adquiridos pelo fundo como diferencial para os investidores.

“Entendemos que o bitcoin pode contribuir muito para incentivar o uso de energia limpa ao redor do mundo. Queremos antecipar esse movimento e oferecer ao investidor um produto que estimule o potencial sustentável deste ativo”, disse Roberta Antunes, Chief of Growth da Hashdex, em comunicado. “Para nos ajudar, contamos com o apoio da empresa alemã Crypto Carbon Ratings Institute (CCRI), provedora de uma metodologia globalmente reconhecida para cálculo de emissão de carbono em redes blockchain”, explicou.

A CCRI será responsável pela produção de relatórios anuais com cálculos e estimativas do consumo de energia e emissão de carbono ligados ao processo de mineração dos bitcoins comprados pelo Hashdex Nasdaq Bitcoin ETF – fundo de índice alvo do BITH11. Além disso, a empresa vai gerar estimativas científicas do consumo de energia e emissões de carbono da rede Bitcoin.

Com base nesses dados, o ETF pretende reduzir sua pegada de carbono com o investimento em projetos de sustentabilidade e preservação do meio ambiente. A seleção dos parceiros para este fim, no Brasil e no mundo, também serão definidos com apoio da CCRI.

O período de reserva já foi iniciado e os investidores tem até o dia 30 de julho para garantir as primeiras cotas do BITH11, cuja oferta é coordenada por XP, Itaú BBA e Banco Genial. O ETF terá taxa de administração de 1% e, até o momento, a previsão é que de que a cota de entrada no ETF custe a partir de 50 reais.

É o segundo ETF que investe 100% do patrimônio em bitcoin disponível na bolsa de valores brasileira - o outro é o QBTC11, da QR Asset Management. Além deles, a B3 também tem listado um outro ETF focado no setor, o HASH11, da própria Hashdex, que investe em uma cesta com diversas criptomoedas.