Sistema blockchain Solana é alvo de ataque hacker e 8 mil carteiras digitais são esvaziadas

Os responsáveis pelo ataque informático teriam furtado entre US$ 4,5 milhões e US$ 8 milhões
Rede Solana foi invadida durante a madrugada (NurPhoto/Getty Images)
Rede Solana foi invadida durante a madrugada (NurPhoto/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 03/08/2022 às 09:58.

Última atualização em 03/08/2022 às 10:56.

Na noite desta terça-feira, 2, milhares de carteiras ligadas ao sistema de blockchain Solana foram "drenadas" após um ataque hacker, que roubou os valores armazenados.

De acordo com as informações preliminares que estão aparecendo na comunidade de criptoinvestidores, cerca de 8 mil carteiras digitais da rede Solana teriam sido esvaziadas, e os hackers teriam furtado entre US$ 4,5 milhões e US$ 8 milhões.

As carteiras mais afetadas são Phantom e Slope, conhecidas como "hot wallets", por estarem conectadas à internet, e o roubo envolveria os tokens SOL e SPL20.

As "carteiras quentes" (carteiras criptográficas sempre conectadas à rede blockchain) são sempre mais vulneráveis ​​que as "cold wallets", as "carteiras frias" (dispositivos não conectados à rede e projetados especificamente para armazenar chaves privadas em segurança).

Aparentemente, os usuários que sofreram o furto não tinham movimentado suas criptomoedas por pelo menos seis meses.

A causa do ataque ainda não foi esclarecida. Entre as hipóteses poderia ser uma extensão vinculada a um contrato inteligente (smart contract) que continha algum tipo de malware, e que teria sido aceito pelos usuários afetados.

Existem algumas hipóteses que o "bug" poderia estar conectado ao Magic Eden, um dos principais marketplaces de NFTs a operar no blockchain da Solana.

Solana não avisou imediatamente do ataque

O Solana não avisou imediatamente sobre o ataque em seu perfil oficial do Twitter, que tem cerca de dois milhões de seguidores.

Um alerta foi enviado apenas no perfil técnico do Status, que tem menos de 90 mil seguidores.

Somente muitas horas depois do início do ataque o Solana se manifestou nas redes sociais.

“Engenheiros de vários ecossistemas, com a ajuda de várias empresas de segurança, estão investigando carteiras roubadas na Solana”, disse o grupo no Twitter.

Isso gerou fortes críticas no ambiente dos criptoinvestidores, pois muitos poderiam ter transferido seus recursos de hot wallets para cold wallets antes do ataque.

A Solana Labs, desenvolvedora do blockchain Solana, levantou milhões de dólares nos últimos meses em investimentos de venture capital. A rede é considerada pela comunidade de criptoinvestidores como a maior concorrente da Ethereum.

A Solana foi projetada para processar até 50 mil transações por segundo, uma escala muito superior aos rivais, incluindo Bitcoin e Ethereum, e operar em um nível compatível com o dos serviços financeiros tradicionais, como a Bolsa de Valores americana Nasdaq.

Em janeiro, analistas do Bank of America chegaram a escrever que a Solana “poderia se tornar a Visa do ecossistema de ativos digitais”.

Entretanto, ele já registrou problemas parecidos no passado e a sua confiabilidade está sendo questionada.

Em primeiro de maio, a rede foi desativada pela sétima vez desde o começo de 2022.

O token SOL está registrando uma leve queda de 0,2% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinGecko.

A calma reação do mercado após a notícia desse ataque - cujo problema parece mais relacionado às carteiras e não o sistema blockchain - sugere que os investidores não acreditam em contágio com outras criptomoedas.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok