Acompanhe:

Tesouro Selic ou IPCA: o que são – e em qual investir?

Com inflação e Selic nas alturas, alguns investimentos como Tesouro Selic ou IPCA são mais buscados pelos investidores. Saiba a diferença entre eles

Tesouro Selic ou IPCA: para muitos investidores, a decisão de investir em um ou outro é baseada na rejeição de um deles, quando, na verdade, ambos os títulos oferecem uma boa fonte de renda (miniseries/Getty Images)

Tesouro Selic ou IPCA: para muitos investidores, a decisão de investir em um ou outro é baseada na rejeição de um deles, quando, na verdade, ambos os títulos oferecem uma boa fonte de renda (miniseries/Getty Images)

D
Da Redação

4 de outubro de 2022, 07h30

Considerados uma das classes de ativos mais seguras e importantes do mercado, os títulos de renda fixa, como, por exemplo, o Tesouro Selic ou IPCA, permitem ao governo brasileiro captar recursos para projetos e operações por meio dos fundos de investidores, que em troca são recompensados com o pagamento de juros periódicos.

Dessa forma, o Tesouro Selic ou Tesouro IPCA buscam equilibrar as carteiras dos investidores, respondendo às correções do mercado de ações e proporcionando um fluxo constante de receita.

Mas antes de entender o que é cada um desses investimentos, é importante saber o que é taxa Selic.

O que é a taxa Selic?

O Tesouro Selic consiste na taxa Selic, utilizada pelo Banco Central do Brasil (Bacen) para administrar e influenciar a economia brasileira, como a direção da política monetária e o controle da inflação.

Desse modo, do ponto de vista macroeconômico, quando a economia está crescendo em um ritmo saudável, o Bacen normalmente aumenta a taxa Selic, elevando efetivamente as taxas de juros em todo o país, com o objetivo de manter a inflação sob controle.

Por outro lado, quando a economia encolhe ou o crescimento estagnou, o Bacen costuma baixar a taxa Selic, reduzindo o custo da dívida para consumidores e empresas, incentivando-os a tomar empréstimos e impulsionando o crescimento econômico.

O que é Tesouro Selic?

O Tesouro Selic pode ser considerado um benchmark para sua categoria de renda fixa, pois o rendimento depende da própria taxa Selic fornecida pelo Tesouro Direto, o programa nacional de negociação do Tesouro.

Nesse sentido, se a principal taxa de juro da economia brasileira subir, o valor do Tesouro Direto Selic cairá de maneira correspondente. Como resultado, para compensar o risco da modulação da taxa de juros, as emissões de longo prazo geralmente pagam uma taxa de juros mais alta em comparação com as emissões de curto prazo.

Se a principal taxa de juros da economia brasileira subir, o valor do Tesouro da Selic cairá na mesma proporção. Portanto, para compensar o risco de ajustes nas taxas de juros, os títulos de longo prazo normalmente possuem taxas mais altas do que os títulos de curto prazo.

Importante destacar que o Tesouro Selic oferece uma fonte de renda de baixo risco quase garantida, onde os investidores recebem proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) de até R$ 250.000,00 em caso de “calote”.

Além disso, o Tesouro Selic consegue manter os recursos dos investidores seguros em quase todos os ambientes econômicos e permite que eles convertam rapidamente seus ativos em dinheiro, sem que haja perda de rentabilidade por meio da chamada liquidez diária.

Isso o torna extremamente atraente em tempos de incerteza econômica, seja para investidores grandes ou pequenos.

O que é Tesouro IPCA?

A inflação é uma das principais preocupações do governo brasileiro, fazendo com que a moeda se desvalorize ao longo dos anos. Para combater esta situação, muitos investidores procuram investimentos que possam acompanhar ou superar a inflação. Como resultado, o Tesouro IPCA tornou-se uma opção de investimento popular.

O Tesouro Direto IPCA  é protegido contra a inflação, ou seja, ajustado para variações na taxa de inflação. Dessa forma, o Tesouro do IPCA paga juros sobre o valor a ser resgatado ao final do investimento (valor de face) ajustado do título, criando um fluxo crescente de pagamentos de juros, à medida que a inflação sobre.

Assim, no vencimento, o investidor receberá o valor de face original mais a soma de todos os ajustes de inflação desde a emissão do Tesouro IPCA. Além disso, os pagamentos de juros também são ajustados anualmente pela inflação, protegendo o poder de compra.

Conduto, a deflação, fenômeno raro onde os preços dos produtos e serviços geralmente caem ao longo do tempo, reduz o valor de face do Tesouro IPCA, bem como o pagamento de juros.

Tesouro Selic ou IPCA: em qual investir?

A taxa de equilíbrio é a diferença entre o rendimento do Tesouro Selic para o Tesouro IPCA. Essa diferença é a média necessária para que a inflação exceda o Tesouro Selic ao longo da vida útil do Tesouro IPCA.

Por exemplo, o Tesouro IPCA+ 2026 de hoje rende IPCA + 5,71%, enquanto o Tesouro Selic 2025 rende 11,86%. Considerando o IPCA acumulado de 8,73% nos últimos 12 meses, teríamos uma variação de 2,58% para títulos de renda fixa, sendo o maior payout atualmente o Tesouro IPCA.

Portanto, com o IPCA na média de 6,53% nos últimos 20 anos, os investidores devem considerar as taxas de equilíbrio, onde caso a inflação real não atenda às altas expectativas, o Tesouro IPCA possa apresentar desempenho inferior ao Tesouro Selic.

É importante ressaltar que, para muitos investidores, a decisão de investir no Tesouro Selic ou no IPCA é baseada na rejeição de um deles, quando, na verdade, ambos os títulos oferecem uma boa fonte de renda, principalmente para investidores mais conservadores, e proteção às carteiras de investimento em períodos econômicos incertos.

Desse modo, enquanto o Tesouro IPCA pode ajudar a proteger o portfólio contra o aumento da inflação, o atual ciclo de aumento das taxas de juros impulsiona os rendimentos do Tesouro Selic. 

Benefícios do investimento em renda

Existem muitas razões pelas quais o Tesouro Selic ou IPCA são tão populares entre os investidores. Primeiro, os juros são pagos regularmente, geralmente distribuídos duas vezes no ano.

A segunda razão pela qual os títulos são populares entre os investidores é que eles prometem devolver seu principal com juros. Portanto, embora os mercados de investimento em renda fixa possam ser voláteis, os emissores de títulos concordaram contratualmente em reembolsar os títulos quando vencerem.

Ao contrário do mercado de ações, os investidores não desfrutam de tais garantias. Embora as cadernetas de poupança também forneçam essa segurança, o Tesouro normalmente gera rendimentos mais elevados do que as taxas de poupança atuais.

Por fim, o maior benefício que os títulos oferecem é sua estabilidade. Como vimos durante a pandemia, o mercado de ações pode ser extremamente volátil e os preços podem flutuar descontroladamente.

Nesse sentido, embora o Tesouro Selic ou IPCA estejam sujeitos aos mesmos fatores que podem incomodar os investidores, ou seja, taxas de juros e inflação, seus movimentos de preços não são tão extremos quanto às ações.