IOF de financiamento: entenda como funciona e como calcular

Entenda como calcular o valor do imposto e contrate serviços de crédito com um melhor planejamento financeiro
IOF: cálculo é fundamental o consumidor saber se está de fato fazendo um bom negócio, ou se é melhor esperar para comprar um bem à vista (Shih-wei/Getty Images)
IOF: cálculo é fundamental o consumidor saber se está de fato fazendo um bom negócio, ou se é melhor esperar para comprar um bem à vista (Shih-wei/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 06/09/2022 às 15:34.

Última atualização em 06/09/2022 às 18:55.

O financiamento é uma das alternativas para realizar pagamentos de alto valor. Seja para comprar um carro, uma casa, fazer um curso universitário ou até mesmo pagar a reforma de um imóvel, muitos brasileiros recorrem a ele para realizar seus sonhos e objetivos.

No entanto, é muito importante saber tudo aquilo que está incluso no valor total do financiamento, com os juros e os impostos envolvidos, como o IOF.

O IOF pode ser cobrado em diferentes situações, como em compras internacionais, rotativo do cartão de crédito, cheque especial, negociação de moedas estrangeiras, investimentos, seguro de vida e de bens, dentre outras operações, cada uma com suas próprias taxas. 

Mas e no caso do IOF de empréstimos ou financiamentos, como funciona a sua cobrança? Entenda como calcular o valor do imposto e contrate serviços de crédito com um melhor planejamento financeiro.

O que é IOF de financiamento?

O IOF de financiamento é um caso específico em que o Imposto sobre Operações Financeiras é cobrado. Entender como ele funciona nesses casos auxilia na escolha de melhores opções de serviços de crédito.

Os financiamentos são geralmente utilizados para pagar a compra de bens específicos, e costuma ser uma das alternativas para adquiri-los quando não se tem recursos suficientes para cumprir com determinados objetivos que demandam mais dinheiro do que se tem em conta naquele momento.

Apesar do financiamento representar uma possibilidade de realizar objetivos e sonhos, é muito importante observar como funciona o IOF de financiamento ao se realizar esse tipo de operação.

Como funciona o IOF de financiamento?

Os financiamentos se apresentam em diferentes modalidades, tendo opções para diversos perfis de clientes. O valor do IOF de financiamento em seu custo total efetivo pode variar conforme o tipo e o tempo do financiamento.

Em setembro de 2021, a alíquota diária do IOF teve um aumento de 36% em relação à taxa anteriormente praticada pelo governo federal. Sendo assim, nas operações de pessoa física (PF), a alíquota diária havia passado de 0,0082% para 0,01118%. Em termos anuais, essa mudança significava uma alteração de até 3% para até 4,11%.

No caso de operações para pessoa jurídica (PJ), essa alíquota diária foi de 0,0041% para 0,00559%, mudando de até 1,50% para até 2,04% ao ano. A exceção foram os CNPJs que faziam parte do Simples Nacional, que seguiram com uma alíquota diária de 0,00137%.

No entanto, em janeiro de 2022, a alíquota diária retornou ao patamar anterior, e continua com a mesma taxa até o momento, conforme a regra vigente, que é de:

  • IOF para pessoas jurídicas: 0,0041% ao dia.
  • IOF para pessoas físicas: 0,0082% ao dia.

Na maior parte dos empréstimos e financiamentos, essas taxas diárias seguem os mesmos valores. Além disso, também é preciso considerar uma taxa fixa de 0,38% sobre o valor liberado, conhecido como IOF adicional, que é pago uma única vez. Esse número é somado à alíquota diária, chamada de IOF básico, utilizando a taxa adequada para cada caso descrito.

O valor do IOF praticado em financiamentos é o mesmo utilizado no cheque especial, quando se tem um valor negativo em conta corrente, assim como em empréstimos consignados, rotativo do cartão de crédito e crédito pessoal.

Importante destacar que nos financiamentos habitacionais, por exemplo, o tomador de crédito é isento da cobrança do IOF. No entanto, na aquisição de imóveis não residenciais, a cobrança do imposto é feita normalmente.

Quando se compreende o cálculo do IOF, é possível saber com mais propriedade qual o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento.

Além do Imposto sobre Operações Financeiras, está inserido no Custo Efetivo Total (CET) do financiamento os juros, algumas taxas, como a Taxa de Abertura de Crédito (TAC) e Gravame, além da possibilidade de cobrança por seguros, como o Seguro Proteção Financeira (SPF).

A taxa do IOF pode parecer pequena frente ao valor total do financiamento e aos juros que são aplicados, porém, por ter uma alíquota diária que incide nesse tipo de operação de crédito, é um imposto que pode impactar de forma relevante no montante total financiado.

Por conta disso, calcular o IOF é fundamental para saber se está de fato fazendo um bom negócio, ou se é melhor esperar para comprar um bem à vista mais adiante.

Como calcular o IOF de financiamento e empréstimo?

O IOF só incide sobre o financiamento ou empréstimo nos primeiros 365 dias, contados a partir da data de liberação do valor pela instituição financeira. Mas afinal, como calcular o IOF de financiamento na prática?

Supondo que foi realizado um financiamento de R$ 20 mil como pessoa física, com um prazo de pagamento de 300 dias. A conta para calcular o IOF do financiamento é:

  • IOF adicional (momento de liberação do financiamento): R$ 20 mil x 0,38% = R$ 76
  • IOF básico (soma dos valores da alíquota diária): R$ 20 mil x 300 x 0,0082% = R$ 492
  • IOF total do financiamento: R$ 76 + 492 = R$ 592

Considerando as mesmas condições de financiamento, mas com um prazo de pagamento de 500 dias, o valor total do IOF seria, em teoria: 

  • IOF adicional: R$ 76
  • IOF básico: R$ 20 mil x 500 x 0,0082% = R$ 820
  • IOF total do financiamento (teórico): R$ 76 + R$ 820 = R$ 896

Nesse segundo caso, como o prazo de pagamento é superior ao limite de 365 dias de cobrança do imposto e o valor final é maior que os 3%, também definido como limite nesta categoria, o valor do IOF total que de fato o tomador do financiamento vai pagar é: 3% de R$ 20 mil = R$ 600.

Para se ter um controle mensal do valor pago em IOF, é interessante que o contratante do financiamento faça uma planilha automática, contendo informações do valor da parcela, montante total do empréstimo, taxa de juros e o valor principal amortizado em cada mês.

Para manter as suas finanças em dia e fazer escolhas mais conscientes, acompanhe o Conta em Dia.

Veja Também

Tesouro Selic ou IPCA: o que são – e em qual investir?
Organizar
Há 2 dias • 6 min de leitura

Tesouro Selic ou IPCA: o que são – e em qual investir?

Dividendos: o que são, como funcionam e como investir?
Organizar
Há 2 dias • 5 min de leitura

Dividendos: o que são, como funcionam e como investir?

O que é consumo consciente e como entrar nessa onda
Organizar
Há 2 semanas • 4 min de leitura

O que é consumo consciente e como entrar nessa onda