Como consultar a tabela Fipe na compra e venda de veículos?

Especialista do banco PAN dá dicas para quem está interessado em trocar de carro e recorrer a um financiamento
Tabela Fipe: atualizada todo mês, ela informa o preço médio usado como parâmetro para transações e avaliações de cada veículo (skynesher/Getty Images)
Tabela Fipe: atualizada todo mês, ela informa o preço médio usado como parâmetro para transações e avaliações de cada veículo (skynesher/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 24/10/2022 às 07:30.

Última atualização em 26/10/2022 às 14:26.

A pandemia foi uma montanha-russa para o mercado de automóveis. Nos meses mais duros do lockdown, os carros se mostraram quase dispensáveis – eram tirados das garagens para visitas breves aos supermercados e olhe lá. Depois veio o nó logístico global que complicou a vida das montadoras e atrasou a produção. 

Consequentemente, o mercado de veículos usados ganhou força e os preços desses modelos subiram como nunca, assim como os dos zero-quilômetro. E ainda teve o sobe-desce dos combustíveis, um capítulo à parte dessa história. 

O que é tabela Fipe?

Com tantas mudanças, a tabela Fipe, uma espécie de farol desse mercado, nunca foi tão consultada. Criada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, ela é atualizada todo mês e informa o preço médio usado como parâmetro para transações e avaliações de cada veículo. Convém lembrar, no entanto, que se trata apenas de um referencial. 

“O valor real do bem varia de acordo com o seu estado de conservação, cor, quilometragem e momento de mercado, que envolve a oferta e a demanda, entre outros fatores”, observa Wilson Diniz, superintendente executivo de veículos do banco PAN. “É comum encontrarmos situações em que um bem, mesmo atendendo a todas as exigências do comércio, tenha seu preço alterado para mais ou para menos em relação à Fipe”.

Como funciona a tabela Fipe na hora de financiar um carro?

Está em busca de um financiamento para comprar um carro ou trocar o que está na sua garagem? Tenha em mente que os bancos não liberam nenhum centavo a mais das cifras apontadas pela tabela Fipe, apesar de não interferirem no preço final negociado entre cada vendedor e comprador. 

“Os bancos utilizam a Fipe para efetuar a liberação de crédito e, assim, ajudam o consumidor a entender se ele está pagando um preço justo por aquele veículo”, acrescenta Diniz.  

Como usar a tabela Fipe a meu favor?

Para usar a tabela a seu favor, é fundamental fazer a compra em uma loja de confiança e bem conceituada – cuidado para não cair nas mãos de vendedores particulares desonestos. “O consumidor deve atentar para o estado de conservação do veículo, exigir uma vistoria cautelar e pedir a opinião de um mecânico de confiança”, aconselha o especialista do banco PAN

Outra dica de ouro: cheque a documentação da aquisição e se não há multas ou IPVAs atrasados, além de restrições impostas pelos DETRANs. 

Antes de bater o martelo na compra, medite a respeito desses três conselhos:

  1. Procure um carro que atenda suas necessidades e se encaixe no seu orçamento mensal;
  2. Não assuma parcelas que comprometam mais do que 30% da sua renda;
  3. Ofereça uma entrada significativa, o que permitirá taxas de juros menores.

A compra por impulso, afinal, é um dos principais erros cometidos por aqueles que estão enredados em financiamentos de veículos.

“O desejo do ‘carro dos sonhos’ leva o comprador a assumir compromissos que estão além do seu orçamento”, sustenta Diniz. “A troca de um jogo de pneus, por exemplo, pode trazer desequilíbrio financeiro, levando o consumidor a atrasar a parcela do financiamento”. O resultado disso todo mundo conhece: mais endividamento, agora com juros de mora. 

O que considerar na escolha do seguro auto?

Faltou falar da importância de se fazer um seguro de garantia mecânica, no caso de veículos usados, para evitar eventuais gastos extras. Apólices que incluem pequenos serviços, como troca de para-brisa e pneus, também podem fazer a diferença no orçamento. 

Para quem está se perguntando qual é a melhor hora para investir em um carro novo, o superintendente executivo de veículos do banco PAN lembra que há vários fatores envolvidos. 

As tendências de alta e queda das taxas de juros são um ponto a ser observado. Também vale a pena estudar a situação das concessionárias, que podem estar mais ou menos inclinadas a anunciar promoções ou aceitar descontos. “O comprador deve pesquisar bastante e não ter pressa”, aconselha Diniz. Só assim para realizar um bom negócio.