7 dicas para você encerrar o ano com as finanças em dia

Fazer um diagnóstico financeiro da sua situação atual e planejar os gastos com a Copa do Mundo e o Natal são essenciais para manter o equilíbrio financeiro em 2023
Planejamento financeiro: uma chance para amenizar os impactos dos gastos de fim de ano no orçamento, assegurar o cumprimento dos objetivos estabelecidos para 2023 e ainda permitir aproveitar a Copa do Mundo (Guido Mieth/Getty Images)
Planejamento financeiro: uma chance para amenizar os impactos dos gastos de fim de ano no orçamento, assegurar o cumprimento dos objetivos estabelecidos para 2023 e ainda permitir aproveitar a Copa do Mundo (Guido Mieth/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 15/11/2022 às 07:30.

A situação financeira do brasileiro preocupa. O endividamento cresce, a inadimplência alcançou o maior patamar desde 2010 e os preços estão em alta. Nesse cenário, controlar as finanças pode ser um desafio para as famílias. Copa do Mundo por vir, Black Friday e ainda as festas de fim de ano podem aumentar o desequilíbrio do consumidor que não estiver consciente de seu orçamento. 

Mas um bom planejamento financeiro, feito com antecedência, pode, sim, amenizar os impactos desses gastos no orçamento, assegurar o cumprimento dos objetivos estabelecidos para 2023 e ainda permitir aproveitar a Copa do Mundo. 

“Seguindo alguns passos básicos, as chances de estar em situação de endividamento - ou pior, inadimplência - diminuirão substancialmente”, afirma o educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira e Associação Brasileira de Profissionais de Educação Financeira (Abefin). 

O especialista enumera sete dicas para gerenciar as finanças neste final de ano.

  1. Faça um diagnóstico financeiro
    O especialista recomenda como primeiro passo fazer um diagnóstico financeiro e saber exatamente em que situação se está: endividado, equilibrado ou investidor. “A partir daí, fica mais fácil definir o que deverá ser feito para melhorar a situação - ou continuar, se já estiver no caminho certo.”
  2. Anote todos os gastos
    Deve-se, então, anotar todas as despesas durante 30 dias, recomenda Domingos, separando-as em categorias: alimentação, combustível, etc.
  3. Faça os ajustes necessários
    Com uma visão mais ampla dos gastos, Domingos sugere fazer uma análise e ver como é possível cortar os supérfluos e excessos e poder redirecionar esse valor para a realização dos sonhos, que, por sua vez, devem ser bem definidos.
  4. Estabeleça metas financeiras
    Quando se tem vontade de economizar para realizar sonhos, é importante pensar em, pelo menos, três tipos de conquistas desejadas: uma de curto prazo (até um ano), outra de médio prazo (até dez anos) e ainda uma de longo prazo (acima de dez anos). Para cada um desses sonhos é importante fazer um orçamento, para saber quanto custam e quanto poderá ser poupado por mês, sabendo, assim, em quanto tempo eles serão realizados.
  5. Aprenda a guardar dinheiro
    Para que os sonhos possam ser realizados, é preciso, de fato, começar a guardar dinheiro. “Essa ação deve ser feita imediatamente após receber o salário, pois, se deixar para o final do mês, certamente, não sobrará”, alerta o educador financeiro.
  6. Tenha atenção com os gastos na Copa do Mundo
    Gastar além do limite e comprar por impulso são práticas que oferecem grande perigo ao orçamento financeiro das famílias, explica Domingos. E as boas condições de pagamento e promoções acabam estimulando esse comportamento. Uma dica para não passar dos limites é pensar antecipadamente quanto se pode gastar com o evento sem prejudicar o orçamento. “Comprar uma camisa oficial, fazer festa, comer e beber em restaurantes com amigos para assistir aos jogos ou até mesmo adquirir uma nova televisão são atitudes bacanas, mas fazer tudo isso sem se programar pode significar um endividamento, ou pior, fazer com que se torne um inadimplente”, explica Domingos.
  7. Controle os gastos de Natal
    Ainda em relação ao final do ano, mas com foco no Natal, a dica é fazer uma lista dos presentes que se quer comprar e o valor que se deseja e se pode gastar com cada um deles. “Para quem recebe 13º salário, o dinheiro pode, e deve, ser usado para esses gastos de fim de ano, uma vez que o objetivo dele é - e sempre foi - o de oferecer uma gratificação aos trabalhadores, ou seja, é um dinheiro extra, que deve ser utilizado para despesas não fixas, como é o caso das compras de fim de ano”, diz o especialista. “É um erro muito comum as pessoas comprometerem esse valor com dívidas, devido à falta de educação financeira da população.”Por fim, fica um alerta. O planejamento financeiro para o ano que começa é frequentemente comprometido por conta dos parcelamentos feitos no fim do ano. Por isso, a recomendação é que sempre se poupe ao longo do ano para que possa comprar à vista e ainda obter bons descontos.

    “Caso não se tenha conseguido guardar dinheiro e tenha que parcelar, avalie o diagnóstico financeiro feito anteriormente e veja quais são os gastos que estão por vir *(IPTU, IPVA, material escolar) para que se compre ciente do valor que terá que dispor mensalmente”, afirma Domingos. “Feito isso, com certeza se estará muito mais preparado para um 2023 mais próspero, mesmo que a crise ainda perdure por algum tempo.”