Tendências de contratação em 2023

Estudar o mercado de trabalho é fundamental para obter sucesso na busca por emprego ou nas estratégias de recrutamento
O Guia Salarial 2023 da Robert Half, dedicado a informações sobre remuneração e tendências de contratação, acaba de ser lançado (blog Sua Carreira, sua gestão/Shutterstock)
O Guia Salarial 2023 da Robert Half, dedicado a informações sobre remuneração e tendências de contratação, acaba de ser lançado (blog Sua Carreira, sua gestão/Shutterstock)
F
Fernando Mantovani — Sua Carreira, Sua GestãoPublicado em 27/09/2022 às 08:30.

Não é exagero dizer que procurar um emprego ou contratar dá tanto trabalho quanto de fato trabalhar. Além das questões e imprevistos já inerentes a esses processos, como encontrar a vaga ou o candidato mais próximo do ideal, há inúmeros desafios trazidos pelo momento em que vivemos. Por isso, empresas e profissionais que pretendem realizar movimentações nesse sentido devem se preparar muito bem antes de sair a campo.

Em um ano de Copa do Mundo, eleições e pós-pandemia, o cenário apresenta bastante complexidade. Por um lado, o campeonato e o pleito podem desacelerar contratações até que seus resultados e desdobramentos sejam concluídos e avaliados pelas organizações. Por outro, cada vez mais profissionais qualificados vêm trocando de emprego, seja para cuidar da saúde e do bem-estar, seja para integrar empresas preocupadas com as práticas ESG (Environmental, Social and Governance), entre outros motivos.

Temos, ainda, um panorama econômico especialmente favorável aos trabalhadores com mais de 25 anos e ensino superior. A taxa de desemprego entre eles tem se mantido abaixo da média nacional há vários meses, o que é uma ótima notícia. Somando todas essas variáveis, percebemos boas perspectivas, mas também obstáculos para empregadores e empregados.

O Guia Salarial 2023 da Robert Half, dedicado a informações sobre remuneração e tendências de contratação, acaba de ser lançado e comprova que há uma percepção de dificuldade entre os recrutadores. A imensa maioria deles (68%) acredita que encontrar profissionais qualificados será mais desafiador nos próximos meses e 76% estão preocupados com o tema atração.

Estudar o mercado antes e tomar decisões depois é a regra de ouro para profissionais e empresas que planejam mudanças. Ler, pesquisar, conversar, esclarecer dúvidas e checar dados é fundamental para ter uma visão realista do mercado. Outro cuidado básico é verificar se o movimento pretendido está alinhado ao planejamento de carreira do profissional, que caso ainda não tenha pensado a respeito, nem definido as metas para a própria trajetória, a minha recomendação é de fazê-lo imediatamente.

Não basta saber que a economia está aquecida e acelerar em direção a um novo emprego. É preciso ter certeza de que a área desejada está firme e forte para contratar e em linha com os planos desenhados. O mercado de trabalho é dinâmico e heterogêneo. Não raramente, algumas atividades econômicas estão em situações diametralmente opostas. A pandemia é prova disso: enquanto o comércio eletrônico cresceu em virtude do confinamento, por exemplo, outros segmentos, como os ligados à arte e cultura, encolheram e só começaram a se recuperar recentemente.

O que saber antes de buscar uma nova vaga ou talento

Destaco, a seguir, quatro insights do Guia Salarial 2023 que auxiliam na missão de se preparar para buscar uma nova vaga ou um novo talento:

1) Segmentos em alta - as maiores chances de contratação e crescimento profissional estão em empresas de tecnologia, bens de consumo, logística/infraestrutura, varejo/e-commerce, agronegócio e saúde;

2) Soft skills – ao lado das habilidades técnicas, as comportamentais continuam sendo essenciais (ou até mais relevantes do que as demais) para a evolução na carreira. As cinco qualidades mais valorizadas são flexibilidade, comunicação, adaptabilidade/resiliência, senso de dono e visão estratégica;

3) Inglês – entra ano, sai ano e o domínio da língua inglesa segue no topo dos requisitos esperados de um bom profissional. Isto porque ainda é baixa a porcentagem dos brasileiros que possuem nível de fluência no idioma.

Oportunidades para headhunters

Acredito que toda adversidade traz uma oportunidade e não é diferente agora. Os desafios para contratar e ser contratado indicam que há espaço para quem deseja atuar como headhunter. A atuação desses executivos não envolve, necessariamente, a formação ou experiência em recursos humanos. Aliás, é comum ver profissionais que deixam suas áreas primárias de formação e passam a trabalhar ajudando clientes com soluções para empresas e profissionais.

O Guia Salarial 2023 aponta que o perfil comportamental de um headhunter requer paixão por pessoas, alta energia, boa comunicação, atributos comerciais e de negociação, e, principalmente, querer fazer a diferença. Ainda conforme o Guia, são consideradas vantagens dessa carreira: trabalhar com propósito, reconhecimento, possibilidades reais de crescimento e remuneração atrativa.

Volto a reforçar que construir uma visão ampla e aprofundada sobre o mercado de trabalho é muito importante para encontrar o emprego dos sonhos, mudar de carreira ou atrair e reter os melhores talentos do mercado. Esse conhecimento prévio é como um mapa: quanto melhor utilizado, mais fácil chega-se ao destino desejado.

Aqui, neste Blog, você encontra outros artigos sobre carreira, gestão e mercado de trabalho. Também é possível ter mais informações sobre os temas na Central do Conhecimento do site da Robert Half. Se você gosta de podcasts, não deixe de acompanhar o Robert Half Talks.

*por Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half para a América do Sul e autor do livro Para quem está na chuva… e não quer se molhar