Como se planejar financeiramente para uma transição de carreira?

Seus planos profissionais podem ter mudado, mas os compromissos da vida adulta permanecem. E é preciso se preparar para não ficar em dívida com eles!
 (Shutterstock/Shutterstock)
(Shutterstock/Shutterstock)
M
Meu Acerto

Publicado em 05/11/2021 às 15:51.

Última atualização em 05/11/2021 às 16:08.

Um conteúdo produzido pela Meu Acerto

Basta uma navegada por 5 minutos no LinkedIn ou uma conversa de meia hora com os amigos na mesa do bar pra gente encontrar alguém que está pensando em mudar de emprego ou de carreira. Essa realidade, inclusive, já foi comprovada com dados: em pesquisa realizada pela Microsoft, 40% das pessoas disseram pensar em sair do emprego atual. O estudo, intitulado Work Trend Index, ouviu mais de 30 mil pessoas em 31 países, incluindo o Brasil.

Nós não somos especialistas em transição de carreira e, portanto, não podemos falar sobre todos os fatores que estão envolvidos nessa decisão. Mas, podemos dar algumas dicas bem valiosas sobre um aspecto que, muitas vezes, é desprezado diante do desejo de mudar de emprego ou de profissão: a importância de se planejar financeiramente para uma transição de carreira.

Mudanças profissionais vêm, geralmente, acompanhadas de uma série de inseguranças, como o processo de adaptação a um novo ambiente de trabalho, a necessidade de desenvolver novas habilidades e a incerteza em relação ao futuro. Não seria ótimo se as questões financeiras não fossem um motivo a mais de preocupação nesse momento?

Se você está pensando em mudar de emprego, já está passando por uma transição de carreira, planeja abrir um MEI para trabalhar por conta própria ou simplesmente tem interesse sobre o tema, continue lendo o artigo para entender por que e como se planejar financeiramente para esse processo.

Por que se planejar financeiramente para uma transição de carreira

Independentemente dos seus planos profissionais terem mudado, as contas que você precisa pagar todos os meses provavelmente não vão sofrer muitas alterações. E tudo isso precisa ser levado em conta na hora de decidir mudar de emprego.

 Você precisa esperar encontrar uma nova oportunidade para sair do emprego atual ou tem condições financeiras de passar um período apenas em busca do novo trabalho? O seu padrão de vida permite que você tenha um salário menor trabalhando com o que ama ou será necessário fazer ajustes nos seus hábitos? Se o seu objetivo é mudar de carreira exatamente para melhorar sua condição financeira, já parou para pensar quanto você precisa ganhar a mais para atingir o nível que você gostaria? Nessa nova carreira, você precisará começar com um salário menor ou já será possível iniciar com um salário base maior?

Somente um planejamento financeiro bem feito vai ser capaz de responder a essas perguntas. E se você não sabe nem por onde começar, não precisa se preocupar. A gente tá aqui pra te ajudar!

Dicas para se planejar financeiramente antes da mudança profissional

Agora que você já sabe que precisa organizar as finanças antes de dar esse passo tão importante na sua vida, confira algumas orientações que vão te auxiliar na hora de colocar a mão na massa.

1.   Faça um diagnóstico da sua situação financeira atual

Não dá para pensar em futuro sem saber como está o presente, não é mesmo? Por isso, o primeiro passo do seu planejamento financeiro é entender como estão as suas finanças. Há métodos muito simples para isso, e um bom jeito de começar é pelo básico: anotando ganhos e gastos. Tendo clareza sobre quanto entra e sai de dinheiro todo mês, você vai conseguir estabelecer os critérios financeiros que precisam ser envolvidos nessa mudança de emprego.

Um ponto importante nesse contexto diz respeito ao endividamento. Muita gente se pergunta se estar com dívidas pode atrapalhar na busca por emprego e é bom ter atenção em relação a isso. De forma resumida e bastante genérica, podemos dizer que a inadimplência pode sim impactar nesse seu momento profissional, especialmente levando em conta os impactos emocionais causados por uma situação de endividamento.

Por isso, se esse for o seu caso, é recomendado que você avalie as possibilidades de negociar a dívida antes de concluir o processo de transição. Assim, o seu planejamento financeiro vai conseguir contemplar quanto você deverá gastar por mês com a quitação da pendência e você pode tirar esse item da lista de preocupações.

2.   Estabeleça metas financeiras a curto, médio e longo prazo

Mesmo que a sua transição de carreira não tenha a ver com o interesse em ganhar mais ou em ter mais estabilidade financeira e esteja mais relacionada a propósito, ao sonho de trabalhar com o que você ama e até mesmo à sua busca por viver com menos, as suas contas não vão deixar de existir — elas são inerentes à vida adulta, afinal.

Por isso, é muito importante que você estabeleça metas financeiras a curto, médio e longo prazo, para que você possa garantir que as suas necessidades serão atendidas e os seus compromissos serão cumpridos. O cumprimento dessas metas, inclusive, é uma boa forma de identificar se o seu novo trabalho foi mesmo um bom negócio para você.

3.   Corte gastos e economize na medida do possível

Como falamos mais acima, uma transição de carreira, geralmente, vem embrulhada em um pacote de incertezas. E uma delas diz respeito a uma pergunta que todo mundo já fez várias vezes ao longo da vida: “será que vai dar certo?”.

Ser otimista nesse momento é importante, mas é preciso ter os pés no chão e consciência de que, infelizmente, pode dar errado. E se der? Estaremos preparados financeiramente para isso? É exatamente para garantir que sim que o corte de gastos e uma reserva de emergência são recomendados para o seu planejamento financeiro antes de uma transição de carreira.

Por quanto tempo você tem condições de manter o pagamento das suas contas caso a mudança não seja tão bem-sucedida quanto você gostaria? O seu planejamento financeiro precisa ser capaz de responder a essa pergunta.

4.   Converse com quem divide a vida com você sobre as finanças

Por último e não menos importante, queremos dar uma dica extremamente valiosa: falar sobre dinheiro é mais do que necessário. Se você não mora sozinho e divide a vida com outra pessoa — seja alguém da família, um parceiro amoroso ou um amigo —, todo mundo está envolvido no seu processo de transição de carreira, mesmo que a decisão seja exclusivamente sua.

Como esse processo implica em questões financeiras, é preciso que todos estejam alinhados às necessidades do momento e às mudanças de padrão de vida que podem acontecer quando a transição se iniciar. Essa conversa, inclusive, vai deixar claro como, e se, outras pessoas podem te ajudar nesse momento, seja cortando gastos, buscando fontes de renda extra ou até mesmo assumindo, caso seja necessário, algumas despesas até que as coisas se estabilizem para você.

Isso sem falar no apoio emocional que pessoas queridas podem te dar nesse momento tão importante da sua vida profissional, não é mesmo? Mas, isso é papo para outro artigo. Por ora, esperamos que as nossas dicas tenham te ajudado no processo e que você tenha um futuro brilhante na sua carreira!

Ouça os conselhos dos maiores executivos e especialistas de carreira nos podcasts da Exame