Aeroporto de Congonhas: oportunidades no mercado imobiliário

O aeroporto se destaca em relação aos demais do estado por estar localizado no município e próximo a bairros importantes, como Jardins e Moema
Aeroporto de Congonhas e arredores: valorização em razão do fluxo constante de passageiros (Infraero/Divulgação)
Aeroporto de Congonhas e arredores: valorização em razão do fluxo constante de passageiros (Infraero/Divulgação)
Por Genoma ImobiliárioPublicado em 14/04/2022 06:30 | Última atualização em 13/04/2022 19:13Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por Catarina Oliveira Guimarães Barcelos*

A cidade de São Paulo se destaca por receber muitos turistas de negócios, que representam cerca de 75% dos hóspedes dos hotéis da cidade. Além desses turistas, o sistema híbrido ou flexível de trabalho se popularizou em diversos setores, atraindo um novo público em busca de moradias por temporada. Esses dois públicos costumam fazer viagens rápidas a trabalho, procurando aliar os negócios com opções de lazer, além de praticidade quanto a sua locomoção.

Esses turistas costumam vir para a capital paulista de avião e se hospedam pelas proximidades do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, quando possível. O aeroporto se destaca em relação aos demais do estado por estar localizado no próprio município e próximo a bairros importantes da capital, como Jardins e Moema.

A região apresenta alguns hotéis e pousadas e locações por temporada próximos ao aeroporto. A diária de studios, por exemplo, pode variar entre R$ 126 e R$ 256 – isso vai variar conforme as condições dos imóveis ofertados e a época do ano. Já os preços de hotéis e pousadas são mais elásticos, variam de R$ 77 a R$ 377 o quarto (valores referentes a janeiro de 2022).

Segundo ainda dados do Airdna, plataforma de dados do Airbnb, desde setembro de 2021, os studios próximos ao aeroporto já trabalham com taxas de ocupação acima de 60% em média, podendo chegar a 96%. Além disso, 52% das procuras por apartamentos no último ano no bairro do Campo Belo foram para imóveis de 1 dormitório, segundo dados do DataZAP+.

Seja um executivo que vai dar uma palestra por alguns dias em São Paulo ou um estudante que vem fazer um curso ou até um funcionário que vai ao escritório presencialmente de tempos em tempos, a região do Aeroporto de Congonhas tende a ter sempre bastante procura.

Observando pela ótica do mercado de transporte aéreo, o tráfego cresceu 20% em 2021 e a demanda por táxis nos aeroportos aumentou 126% só na cidade de São Paulo. Cria-se então a real necessidade de espaços que facilitem a locomoção desses turistas.

Esses números são atrativos para quem busca investir em imóveis e está procurando localizações estratégicas. Para as pessoas que pensam em expandir seus negócios e adentrar no mercado imobiliário e não sabem por onde começar, procurar imóveis próximos ao aeroporto de Congonhas pode ser um bom negócio.

Além da demanda relativamente constante na região, o crédito imobiliário pode ser freado pela alta da Selic, que impacta o volume de vendas. Isso pode facilitar conseguir descontos na hora da compra. Com esse desconto, o investidor ganha tanto na valorização do imóvel (a região de Congonhas espera ainda a estação do monotrilho) quanto a renda proveniente da locação por temporada.

Para além desse exemplo de Congonhas, essa lógica pode ser aplicada em tantos outros aeroportos no Brasil localizados próximos aos centros populares da cidade. É um local interessante para observar possíveis negócios bem-sucedidos.

*Catarina Oliveira Guimarães Barcelos é analista de Mercado Imobiliário do DataZAP+, braço de inteligência imobiliária do ZAP+.