Planalto corre contra o tempo para separar contas de campanha

Operação da PF e do TSE preocupa governo; percepção é que Herman Benjamin apresentará voto pedindo cassação da chapa
 (Christopher Goodney/Bloomberg/Bloomberg)
(Christopher Goodney/Bloomberg/Bloomberg)
B
Brasília em PautaPublicado em 27/12/2016 às 15:20.

A operação da Polícia Federal e do Tribunal Superior Eleitoral para verificar a capacidade de empresas subcontratas por Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB - gráficas que receberam valores da chapa Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) - acendeu o alerta vermelho nos corredores do Palácio do Planalto.

Interlocutores de Temer afirmaram que a ordem é correr contra o tempo para separar as contas de campanha do peemedebista e da petista.

A ação foi autorizada por Herman Benjamin, ministro do TSE e relator do processo que pode levar à cassação da chapa vitoriosa de Dilma e Temer.

Pessimistas, os auxiliares do presidente acreditam que o ministro do TSE apresentará voto pela condenação da chapa. Para eles, a única alternativa para evitar que Temer seja cassado é apostar todas as fichas na separação das contas da campanha.