Aliados cobram reação de Temer após & da Odebrecht

O presidente Michel Temer (PMDB) bem que tentou evitar uma reunião emergencial no final de semana para que a delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Claudio Melo Filho não ganhasse ainda mais visibilidade e repercussão. Pressionado por aliados, o peemedebista convocou o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB-RS), e o secretário de Programa de Parceria e Investimentos (PPI), Moreira Franco (PMDB-RJ) para um encontro neste domingo (11). Além […] Leia mais
B
Brasília em Pauta

Publicado em 11/12/2016 às 22:34.

Última atualização em 24/02/2017 às 07:21.

O presidente Michel Temer (PMDB) bem que tentou evitar uma reunião emergencial no final de semana para que a delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Claudio Melo Filho não ganhasse ainda mais visibilidade e repercussão.

Pressionado por aliados, o peemedebista convocou o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB-RS), e o secretário de Programa de Parceria e Investimentos (PPI), Moreira Franco (PMDB-RJ) para um encontro neste domingo (11). Além disso, Temer decidiu jantar com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com parlamentares da base governista. Moreira Franco e o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), também participaram.

Ao lado de Maia e Renan, Temer fará pronunciamento neste domingo

Temer convocou reunião emergencial com ministros e deputados para apagar “incêndio” da Odebrecht

Desde sexta-feira (9), aliados enviaram recados a Temer de que ele precisaria articular a reação do governo ao que classificaram como “revelações comprometedoras e massacre da Odebrecht”.

Para superar a crise política, Temer sugeriu que o governo criasse uma agenda positiva na próxima semana. Além da esperada aprovação da PEC do Teto dos gastos públicos no Senado, o peemedebista pretende lançar um pacote de medidas de estímulo à economia.

Experiente, o peemedebista entende que é preciso reforçar o aceno ao mercado financeiro, considerado um dos principais fiadores de sua governabilidade.

Durante o jantar realizado na residência oficial da Presidência da Câmara, Temer pediu o empenho da base aliada para emplacar medidas econômicas importantes, como a proposta que limita os gastos públicos e a reforma da Previdência.

Aos deputados, o presidente defendeu a necessidade de confirmar a indicação de Antônio Imbassahy (PSDB-BA) para a Secretaria do Governo. Com isso, Temer acredita que passará um recado de estabilidade aos seus apoiadores. Mais cedo, o peemedebista se reuniu com o tucano no Palácio do Jaburu. O presidente deve conversar sobre o assunto com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) nos próximos dias.