Angélica e a polêmica do cachorro quente

  A interação entre os garotos propaganda e as marcas que anunciam sempre traz discussões acaloradas e com diversos pontos de vista. A última que causou impacto foi a Angélica comendo um cachorro-quente na campanha da Perdigão, sendo que ela já afirmou no passado não comer carne vermelha. Mas é importante que o garoto propaganda da marca de fato utilize o produto que anuncia? O consumidor rejeitaria uma marca por […] Leia mais
B
Branding, Consumo e Negócios

Publicado em 30/01/2015 às 08:30.

Última atualização em 24/02/2017 às 08:09.

 

A interação entre os garotos propaganda e as marcas que anunciam sempre traz discussões acaloradas e com diversos pontos de vista. A última que causou impacto foi a Angélica comendo um cachorro-quente na campanha da Perdigão, sendo que ela já afirmou no passado não comer carne vermelha. Mas é importante que o garoto propaganda da marca de fato utilize o produto que anuncia? O consumidor rejeitaria uma marca por saber que o garoto propaganda não consome aquele produto?

Perdigao_Angelica

A resposta está na estratégia de marca e comunicação da empresa. A estratégia da Perdigão parece ser construir uma “marca da família”. Os valores da marca parecem ser a alegria de estar junto, a diversão compartilhada, a espontaneidade, o bem querer e a união de pessoas queridas. E a família Huck representa justamente isso.

Neste caso, os porta-vozes estão passando relações emocionais e sensações. Não são chefs experts em comida. Estão mais preocupados sobre o que a comida representa como interação entre as pessoas e não sobre aspectos técnicos de qualidade ou sabor. Cumprem então de maneira primorosa o seu papel.

A resposta de Angélica à polêmica não poderia ter sido melhor: “Fui escolhida para representar a Perdigão por meu papel como mulher dona de casa, que escolhe os produtos para a família e amigos. Além disso, como salsicha, adoro cachorro-quente e estou comendo no comercial porque realmente gosto”. Independente de ela comer ou não o cachorro-quente, o papel que ela deveria cumprir pela marca foi cumprido, e é desta maneira que deve ser feita a escolha de um porta-voz.

Se a estratégia da marca fosse criar uma sensação de superioridade de produto, a família Huck deveria ser uma especialista em alimentos, e seria essencial que eles comessem e usassem os produtos no seu dia a dia. Um dos garotos-propaganda mais famosos da história teve este papel: Michel Jordan para a Nike. Nesse caso, a imagem de Jordan estava ligada a credibilidade funcional do produto. Essa conexão só foi possível porque ele de fato usava os tênis da Nike, e porque os produtos pareciam fazer com que ele tivesse um desempenho fora do comum.  Nessa situação, se ele fosse flagrado usando outras marcas de tênis, ou se não tivesse um bom desempenho nas quadras, com certeza a marca sofreria junto.

Portanto, a escolha da família Huck pela Perdigão parece ter sido bastante correta, e a condição para que continue sendo correta é que eles permaneçam juntos e felizes. Se o casamento de Luciano e Angélica perdurar, também perdurará o casamento deles com a Perdigão.