Via Láctea pode ter 2 mil pequenos buracos negros

Pesquisadores da Universidade da Califórnia fizeram uma simulação de computador que mostra os buracos negros na galáxia
 (EXAME.com)
(EXAME.com)
V
Vanessa DarayaPublicado em 03/04/2013 às 10:12.

São Paulo - Dois pesquisadores americanos descobriram que existe um número impressionante de buracos negros na Via Láctea. São aproximadamente 2 mil buracos negros errantes no halo da galáxia, região periférica que fica além das estrelas da Via Láctea.

Os pesquisadores Valery Rashkov e Piero Madau, da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, fizeram uma simulação de computador que mostra os buracos negros na galáxia. Segundo os cientistas, a variação de quantos buracos negros existem na Via Láctea é grande. O número pode variar de 70 e 2 mil.

Teoricamente, cada galáxia pode ter um buraco negro em seu centro. As galáxias e seus buracos negros supermassivos crescem em conjunto, como resultado de colisões e fusões entre galáxias menores antigas. Conforme as galáxias se fundem, seus buracos negros centrais também se unem e formam um novo objeto supermassivo.

Porém, às vezes as galáxias se fundem, mas lançam os objetos para as profundezas do espaço. Colisões entre os buracos negros também criam ondas gravitacionais quem podem expulsar um buraco negro recém-fundido para fora de sua galáxia hospedeira.

Esses objetos errantes têm um tamanho intermediário e já foram encontrados no centro de coleções de estrelas e gás. Embora muitos se unam para formar buracos negros supermassivos no centro de galáxias como a Via Láctea, o caos dessas fusões pode ter deixado alguns pequenos buracos negros presos nas regiões mais distantes do espaço.

É muito difícil detectar a maioria desses buracos negros. Mas alguns podem ter trazido aglomerados de estrelas e matéria escura junto com eles. Se isso for verdade, os cientistas poderão detectar a luz fraca desses objetos no halo da Via Láctea com telescópios e entender melhor como eles foram formados.