Ciência

Uso do salto alto faz mal à saúde? Especialista destaca consequências do uso contínuo

Ortopedista explica que os danos ocorrem de maneira mais grave em quem costuma trabalhar e caminhar muito com esse tipo de salto

Tem como usar salto alto de forma saudável? (MangoStar_Studio/Getty Images)

Tem como usar salto alto de forma saudável? (MangoStar_Studio/Getty Images)

Edicase
Edicase

Agência de notícias

Publicado em 21 de julho de 2023 às 08h03.

Seja para momentos de lazer ou ocasiões formais, os sapatos de salto alto são sempre uma ótima forma de manter a beleza e a elegância. No entanto, é importante estar ciente de que o uso constante desse tipo de calçado

pode acarretar problemas nos joelhos

.

“Com o uso do salto, o joelho é colocado em uma posição desconfortável que exige flexão contínua. Esse esforço desgasta a cartilagem patelar levando à condromalácia (condropatia), doença cujos sintomas incluem dores no joelho que pioram ao subir ou descer escadas. Ajoelhar, agachar ou sentar com as pernas cruzadas também pode causar dor”, afirma o Dr. Marcos Cortelazo, ortopedista especialista em joelho e traumatologia esportiva, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

Motivo desse problema

O Dr. Marcos Cortelazo explica que os danos ocorrem de maneira mais grave em quem costuma trabalhar e caminhar muito com esse tipo de salto. “Em uma caminhada normal, o corpo absorve o impacto da passada de maneira uniforme. Esse equilíbrio permite que as articulações dos tornozelos e dos joelhos não sejam prejudicadas. Já os saltos causam maior desequilíbrio e exigem mais flexão dos joelhos”, explica o médico. Ao deixar a ponta dos pés no chão e o calcanhar elevado, esses sapatos sobrecarregam a articulação dos joelhos.

Mas não é só isso. Segundo o médico, o desgaste pode se acentuar, com o uso contínuo desse tipo de calçado, e atingir outras estruturas do joelho, causando também artrose. “Nesse caso, além da cartilagem patelar, as estruturas que envolvem o fêmur e a tíbia também são atingidas”, diz o Dr. Marcos Cortelazo.

Principais formas de tratamentos

O médico explica que existem muitas maneiras de curar a condromalácia patelar sem cirurgia, como tomar medicamentos ou fazer fisioterapia. “Mas, se o caso for grave e a cirurgia for necessária, é necessário encontrar a causa raiz. A condropatia patelar pode requerer cirurgia, como a artroscopia, para regularizar a superfície articular”, diz o Dr. Marcos Cortelazo. Se ocorrer um desgaste da articulação, pode ser necessária uma grande cirurgia para substituir ou realinhar a articulação, o que também significa um longo tempo de recuperação.

Cuidados para prevenir problemas no joelho

Segundo o especialista, a melhor solução para esse dilema é usar esse tipo de salto de maneira esporádica, indo pelo caminho do meio, preferindo sapatos nem muito planos, nem muito altos, em uma altura que não exceda a margem de 2,5cm a 5cm. “Praticar exercícios regularmente e controlar o peso são cuidados adicionais que evitam a chance de problemas no joelho”, finaliza o médico.

Acompanhe tudo sobre:Portal EdiCase

Mais de Ciência

Flora intestinal distinta pode servir para o diagnóstico do Autismo, aponta estudo

Estudo sugere que expectativa de vida humana pode ter alcançado limite

Ozempic reduz risco de demência em pacientes diabéticos, revela estudo

O que causa a enxaqueca? Estudo revela nova pista sobre origem da doença

Mais na Exame