• AALR3 R$ 20,18 0.60
  • AAPL34 R$ 68,18 -2.46
  • ABCB4 R$ 17,04 2.59
  • ABEV3 R$ 14,07 -1.05
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,69 0.09
  • AGRO3 R$ 31,02 1.31
  • ALPA4 R$ 20,97 0.14
  • ALSO3 R$ 19,52 0.88
  • ALUP11 R$ 26,55 0.57
  • AMAR3 R$ 2,41 2.55
  • AMBP3 R$ 30,58 -1.96
  • AMER3 R$ 23,26 1.35
  • AMZO34 R$ 68,37 1.02
  • ANIM3 R$ 5,52 -0.36
  • ARZZ3 R$ 80,89 -1.17
  • ASAI3 R$ 15,38 -0.13
  • AZUL4 R$ 21,10 -0.61
  • B3SA3 R$ 11,62 0.61
  • BBAS3 R$ 35,48 -1.20
  • AALR3 R$ 20,18 0.60
  • AAPL34 R$ 68,18 -2.46
  • ABCB4 R$ 17,04 2.59
  • ABEV3 R$ 14,07 -1.05
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,69 0.09
  • AGRO3 R$ 31,02 1.31
  • ALPA4 R$ 20,97 0.14
  • ALSO3 R$ 19,52 0.88
  • ALUP11 R$ 26,55 0.57
  • AMAR3 R$ 2,41 2.55
  • AMBP3 R$ 30,58 -1.96
  • AMER3 R$ 23,26 1.35
  • AMZO34 R$ 68,37 1.02
  • ANIM3 R$ 5,52 -0.36
  • ARZZ3 R$ 80,89 -1.17
  • ASAI3 R$ 15,38 -0.13
  • AZUL4 R$ 21,10 -0.61
  • B3SA3 R$ 11,62 0.61
  • BBAS3 R$ 35,48 -1.20
Abra sua conta no BTG

Substância encontrada no plástico pode ser tóxica

Exposição ao bisfenol A, substância encontrada no plástico, pode fazer mal à saúde, alertaram especialistas
Garrafas plásticas: exposição ao BPA pode afetar, entre outros órgãos, fígado, rins e glândulas mamárias (Fred Dufour/AFP)
Garrafas plásticas: exposição ao BPA pode afetar, entre outros órgãos, fígado, rins e glândulas mamárias (Fred Dufour/AFP)
Por Da RedaçãoPublicado em 17/01/2014 16:48 | Última atualização em 17/01/2014 16:48Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Bruxelas - A exposição ao bisfenol A (BPA), substância encontrada no plástico, pode fazer mal à saúde e os níveis toleráveis de exposição deveriam ser divididos em dez, advertiu na sexta-feira a Autoridade Europeia de Segurança Alimmentar (EFSA), destacando que pode afetar, entre outros órgãos, fígado, rins e glândulas mamárias.

"Nossos especialistas identificaram riscos para a saúde associados à exposição de BPA", que é "suscetível de ter efeitos desfavoráveis nos rins e no fígado, assim como efeitos na glândula mamária", anunciou a EFSA em um informe intermediário, prévio a uma decisão final sobre o BPA que planeja publicar em março.

Os "possíveis efeitos do BPA nos sistemas reprodutivo, nervoso, imunológico, metabólico e cardiovascular, assim como no desenvolvimento de câncer (...) poderiam constituir uma preocupação em potencial para a saúde humana", embora "um vínculo entre o BPA e estes outros efeitos sejam considerados improváveis", avaliou a agência.

Os especialistas recomendam, consequentemente, que "a dose diária tolerável para o BPA seja rebaixada, de seu nível atual de 50 µg por kg de peso corporal ao dia para 5 µg por kg". Este nível se estabeleceria "em uma base provisória".

A EFSA explicou que "o risco sanitário para todos os grupos da população é baixo, inclusive para o feto, bebês e crianças", vistos os níveis reais de exposição dos consumidores a esta substância química, presentes em muitos recipientes de alimentos.

Segundo Iona Pratt, presidente do grupo científico da EFSA sobre este tema, "a exposição dos consumidores ao BPA é inferior" para esta nova exposição provisória. "Os níveis atuais de exposição também são inferiores" aos níveis que a agência quer reduzir, explicou à AFP o porta-voz da EFSA, Steve Pagani.

Para terminar sua pesquisa, a EFSA fará uma consulta pública pela internet até 13 de março de 2014.

A EFSA tinha começado esta atualização das informações sobre o bisfenol A em março de 2012, em meio a uma inquietação crescente dos consumidores e das autoridades nacionais a respeito desta substância.

O BPA, também presente nos recibos de caixas eletrônicos, foi proibido na UE em mamadeiras em janeiro de 2011.