A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Reino Unido aprova vacina da Pfizer; aplicação começa na próxima semana

Ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, prevê iniciar a vacinação na semana que vem. Vacina da Pfizer é 95% eficaz contra a covid -19

O Reino Unido aprovou nesta quarta-feira (2) o uso da vacina contra covid-19 produzida pela Pfizer e pela BioNTech. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, que prevê iniciar a vacinação na semana que vem.

Como fica a Bolsa com o lançamento da vacina? Veja agora a análise das melhores empresas para investir hoje. 

"A MHRA autorizou formalmente a vacina Pfizer/BioNTech para Covid-19. O NHS está pronto para começar a vacinar no início da próxima semana. O Reino Unido é o primeiro país do mundo a ter uma vacina clinicamente aprovada para fornecimento", afirmou Hancock em uma rede social.

O sinal verde das autoridades britânicas "é resultado de meses de ensaios clínicos rigorosos e de uma análise profunda dos dados por parte de especialistas da MHRA, que concluíram que a vacina respondia às normas estritas de segurança, qualidade e eficácia", disse o porta-voz da pasta.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também comemorou a notícia. "É a proteção das vacinas que nos permitirá recuperar nossas vidas e fazer a economia andar novamente", afirmou.

As farmacêuticas anunciaram o resultado final dos testes em 18 de novembro, mostrando que sua vacina é 95% eficaz na prevenção da covid-19. A expectativa é produzir até 100 milhões de doses até o fim do ano. Outras 1,3 bilhão de doses podem ser fabricadas no ano que vem.

O Reino Unido, país mais afetado pela covid-19 na Europa, encomendou 40 milhões de doses do produto – no caso, serão necessárias duas aplicações para garantir a imunização de cada pessoa.

Entre as pessoas prioritárias para receber a vacina estão idosos, profissionais da área da saúde e pessoas do grupo de risco.

A vacina da Pfizer pode ter um empecilho para a importação para outros países. Ela tem como base o RNA mensageiro e precisa ser armazenadas em temperaturas muito baixas, de cerca de -70ºC, enquanto vacinas de DNA podem ser guardadas em temperatura ambiente.

Ontem, Pfizer e a BioNTech pediram ao regulador de medicamentos da Europa autorização condicional para sua vacina contra Covid-19, após submeterem pedidos semelhantes nos Estados Unidos e no Reino Unido. 

"A autorização (...) no Reino Unido marca um momento histórico na luta contra a covid-19", afirmou o CEO da Pfizer, Albert Bourla, nesta quarta.

Como estamos?

Das 48 em fases de testes, apenas 11 estão na fase 3, a última antes de uma possível aprovação. São elas a chinesa da Sinovac Biotech, a também chinesa da Sinopharm, a britânica de Oxford em parceria com a AstraZeneca, a americana da Moderna, da Pfizer e BioNTech, a russa do Instituto Gamaleya, a chinesa CanSino, a americana Janssen Pharmaceutical Companies e a também americana Novavax.

 

EXAME.AGORA

A gravidade do coronavírus movimentou centenas de iniciativas privadas e públicas em busca de uma vacina. No EXAME Agora especialistas explicam o que ainda falta para as vacinas ficarem prontas e quais são os riscos e benefícios de se produzir um imunizante em tão pouco tempo.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também