Pulgas gigantes já perturbavam os dinossauros

As pulgas pré-históricas não tinham asas e, ao contrário de suas descendentes, não podiam saltar e tinham bocas comparativamente menores
A estrutura dos ossos era pesada e gerava muita rigidez, dificultando fazer giros com velocidade (Getty Images)
A estrutura dos ossos era pesada e gerava muita rigidez, dificultando fazer giros com velocidade (Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 29/02/2012 às 23:24.

Paris - Os dinossauros gigantes que dominaram a Terra, cerca de 150 milhões de anos atrás, sofriam com parasitas que atualmente atormentam os humanos: pulgas sugadoras de sangue que tinham até dois centímetros de comprimento.

É o que afirmam paleontólogos chineses e franceses, que estudaram nove fósseis extraordinários, retirados em escavações na Mongólia interior e na província de Liaoning.

As fêmeas das pulgas ancestrais mediam mais de 20 milímetros, enquanto os machos tinham quase 15 milímetros, em comparação com um máximo de 5 mm das pulgas atuais.

As pulgas pré-históricas não tinham asas e, ao contrário de suas descendentes, não podiam saltar e tinham bocas comparativamente menores, acrescentou o estudo.

Mesmo sem esses atributos, elas eram extremamente adaptadas ao seu nicho ambiental.

Tinham patas que as habilitavam a se agarrar em répteis com pelos ou plumas, cujo couro era perfurado com um "sifão" longo e serrilhado para extrair o sangue.

Os insetos eram tão bem sucedidas que quando os dinossauros desapareceram da face da Terra, 65 milhões de anos atrás, uma extinção relacionada à queda de um meteoro, elas suavemente se adaptaram para sugar o sangue de mamíferos e aves, diminuindo de tamanho no processo.

O estudo, chefiado por Andre Nel, do Museu Nacional francês de História Natural, em Paris, foi publicado na edição desta quarta-feira da revista científica britânica Nature.