Premiada com Nobel de Medicina não ficou surpresa

A especialista na medicina tradicional chinesa e no tratamento contra a malária disse que soube da notícia pela televisão

A chinesa Tu Youyou, vencedora do Nobel de Medicina 2015, afirmou não ter ficado surpresa com a recompensa, que considerou uma "honra para o conjunto dos cientistas chineses", informou um jornal local.

"Pesquisamos durante várias décadas, portanto este prêmio não é uma surpresa", explicou na noite de segunda-feira esta farmacologista aposentada de 84 anos ao jornal da província de Zhehiang (leste), o Qianjiang Evening News, em uma entrevista por telefone.

Muito procurada pela imprensa desde o anúncio do prêmio na segunda-feira, Tu, que sofre de diabetes e se encontra em um estado de saúde delicado, "está muito cansada", disse à AFP seu marido, Li Tingzhao, contactado por telefone. "Não sai com frequência" e "não planeja dar uma coletiva de imprensa", declarou.

Li não indicou se sua esposa poderá comparecer à cerimônia de entrega de prêmios no fim do ano e disse esperar detalhes do comitê Nobel.

Tu Youyou, especialista na medicina tradicional chinesa e no tratamento contra a malária, explicou que soube da notícia pela televisão e que esta "não lhe causou uma impressão particular", segundo o jornal provincial.

"Estou um pouco surpresa, mas não muito. Porque (este prêmio) não é uma honra que prestam apenas a mim, é uma honra ao conjunto de cientistas chineses", explicou Tu, que em setembro de 2011 já havia recebido o prestigiado prêmio Albert Lasker, considerado um potencial precursor do Nobel de Medicina ou Física para os que o obtém.

Tu Youyou descobriu um tratamento particularmente eficaz contra a malária graças a um extrato da planta 'Artemisia annua', um "presente da medicina tradicional chinesa aos povos do mundo", declarou na segunda-feira à agência de notícias Xinhua.

Nesta terça-feira, recebeu em sua casa o presidente da Universidade de Pequim - a mais prestigiada da China - da qual se diplomou para a Academia de Medicina em 1955, disse seu marido.

O Nobel foi atribuído em conjunto a ela, a William Campbell - um americano nascido na Irlanda -, e ao japonês Satoshi Omura, por seu tratamento contra as infecções parasitárias causadas por vermes.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.