Poeira "fria" em volta de buraco negro desafia astronomia

Descoberta desafia as atuais teorias e explica como um buraco negro de elevada massa evolui e interage com o meio que o circunda
Poeira "fria" ao redor de um buraco negro massivo no centro de uma galáxia ativa (Divulgação/ESO)
Poeira "fria" ao redor de um buraco negro massivo no centro de uma galáxia ativa (Divulgação/ESO)
V
Vanessa DarayaPublicado em 21/06/2013 às 10:51.

São Paulo - Um grupo de astrônomos descobriu uma poeira "fria" ao redor de um buraco negro massivo no centro de uma galáxia ativa. Segundo o Observatório Europeu do Sul (ESO), a descoberta desafia as atuais teorias e explica como um buraco negro de elevada massa evolui e interage com o meio que o circunda.

Para chegar nessa conclusão, os pesquisadores analisaram dados do Very Large Telescope (VLT), no Chile. Os dados se referem ao buraco negro no centro da galáxia NGC 3783, localizada a cerca de 126 milhões de anos-luz da Terra, na constelação do Centauro.

Os astrônomos esperavam encontrar toda a poeira brilhante em torno do buraco negro. Mas descobriram que acima e abaixo dele existe um "novo Universo". As observações mostram que a poeira é empurrada para longe do buraco negro, como um vento fresco.

Nos últimos vinte anos, os astrônomos descobriram que quase todas as galáxias têm um enorme buraco negro no seu centro. Alguns destes buracos negros estão em fase de crescimento sugando matéria do meio circundante e dando origem aos objetos mais energéticos do Universo: os núcleos ativos de galáxias (NAGs).

As regiões centrais destas brilhantes centrais de energia estão rodeadas por "rosquinhas", que são arrastadas pelo espaço assim como a água forma um redemoinho em volta do ralo de uma pia. Por isso, os cientistas imaginavam que a maior parte da radiação infravermelha proveniente dos NAGs venha essas regiões, que lembram "donuts".

Mas as novas observações da galáxia NGC 3783 mudam o cenário astronômico. Apesar de a poeira quente ser encontrada em um "donut", os astrônomos acharam uma enorme quantidade de poeira mais fria, tanto acima quanto abaixo da "rosquinha" principal.

A poeira forma um vento fresco para fora do buraco negro. Esse vento deve desempenhar um papel importante na relação entre o buraco negro e o ambiente em volta. O buraco negro sacia o seu apetite com material o em sua volta, mas a intensa radiação que produz nesse processo parece afastar o material ao mesmo tempo.

Ainda não é claro como estes dois processos interagem, permitindo ao buraco negro crescer e evoluir no coração das galáxias. Mas o ESO afirma que a presença de um vento de poeira acrescenta uma nova peça ao cenário.