A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Pessoas com níveis altos de ômega 3 têm menos risco de morte por covid-19, diz pesquisa

Mais estudos precisam ser feitos para confirmar a hipótese. Ômega 3 pode ter papel importante para evitar tempestade de citocina

Uma pesquisa realizada pelo Fatty Acid Research Institute (FARI), nos Estados Unidos, aponta que pessoas com níveis mais altos de ômega 3 no sangue têm menos risco de morte causada pelo novo coronavírus. Segundo os cientistas, a gordura boa tem efeitos benéficos em quadros de infecção por covid-19. Mais estudos precisam ser feitos para confirmar a hipótese.

Para chegar a essa conclusão foram analisadas amostras sanguíneas de 100 pacientes hospitalizados. A quantidade de ômega 3 foi medida no sangue de cada um dos pacientes, sendo que eles foram separados em quatro grupos, dependendo do nível de O3I em seu sangue. Do total, 14 morreram – apenas um deles estava no grupo de total mais alto de ômega 3.

De acordo com os pesquisadores, as pessoas com mais de 5,7% de O3I no sangue eram 75% menos prováveis de morrer quando comparadas com aqueles que estavam no grupo de menor nível (abaixo de 0,07%). Isso quer dizer que o risco relativo de morte era quatro vezes mais alto para aqueles que apresentavam menor quantidade de ômega 3 no sangue.

"Esse estudo piloto sugere fortemente que essa gordura marinha pode ajudar a reduzir o risco de resultados adversos em pacientes com covid-19. Estudos maiores obviamente precisam ser feitos para confirmar essas descobertas preliminares", afirmou Arash Asher, coautor do estudo.

Para James H. O'Keefe, cardiologista não envolvido no estudo, o ômega 3 tem capacidades anti-inflamatórias importantes para a luta contra a covid-19, em especial contra a tempestade de citocina – pesquisas apontam que, em algumas pessoas, o coronavírus faz com que o sistema imunológico entre em colapso logo no começo dos sintomas e causa uma hiper-reação chamada de tempestade de citocina, capaz de prejudicar severamente os pulmões e levar a problemas respiratório sérios e até à morte.

Essa reação exagerada pode acontecer em qualquer idade, mas é menos comum em crianças e adolescentes e acontece quando o corpo humano continua a batalhar contra o vírus mesmo quando ele deixa de ser uma ameaça, liberando essas citocinas até que o corpo chega a um nível exaustivo. No fim, é ela que causa a morte em vez do vírus, atacando diversos órgãos, como os pulmões (muitas vezes severamente afetados pela covid-19) e os rins.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também