Pesquisador do MIT diz ter criado a “pílula da juventude”

A startup Elysium, fundada por um respeitado pesquisador do MIT, vende um suplemento alimentar que, em essência, faria quem o consome sentir-se mais jovem

	Juventude: a pílula Basis não promete deter o envelhecimento mas pode dar uma ajuda para a preservação da saúde
 (Mattrimages/ThinkStock)
Juventude: a pílula Basis não promete deter o envelhecimento mas pode dar uma ajuda para a preservação da saúde (Mattrimages/ThinkStock)
Por Maurício GregoPublicado em 01/11/2015 15:53 | Última atualização em 01/11/2015 15:53Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo — Imagine que você leia, em algum lugar, que existe uma pílula capaz de fazê-lo sentir-se mais jovem, mais saudável e mais energético – mesmo numa idade já avançada. Você provavelmente acharia que aquilo não passa de enganação. 

Mas quem diz ter desenvolvido uma pílula assim é Leonard Guarente, um respeitado pesquisador do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). 

Gaurente lidera o Laboratório Glenn para a Ciência do Envelhecimento no MIT. Entre seus assessores, ele conta com cinco ganhadores de prêmio Nobel e outros 12 pesquisadores de alto nível. 

Depois de muitos anos dedicados à pesquisa acadêmica, Guarente acaba de fundar, com dois sócios, a Elysium Health, startup que fabrica e vende essa pílula da juventude. 

Com o nome comercial Basis, a pílula contém dois ingredientes ativos: ribose-nicotinamida e pterostilbeno. Segundo Guarente e sua equipe, basta tomar duas cápsulas de Basis por dia para melhorar a saúde e sentir-se mais bem disposto.

Reportagens de sites como Boston Globe, FastCompany e MIT Technology Review detalham como esses dois componentes agiriam para melhorar a saúde. 

A ribose-nicotinamida é base para que o corpo produza nicotinamida-adenina-dinucleotídeo (NAD). Essa substância, por sua vez, serviria para a síntese de enzimas envolvidas no metabolismo humano.

O outro princípio ativo do Basis, pterostilbeno, tem, segundo Guarente e sua equipe, ação similar à do resveratol. Essa substância, encontrada, por exemplo, no vinho tinto, tem efeitos benéficos comprovados para a saúde. 

O site da Elysium não fala em deter o envelhecimento — já que isso, até onde sabemos, é impossível — e nem promete curar doenças. A empresa divulga o Basis como um suplemento alimentar que, em essência, faria quem o consome ter melhor saúde e sentir-se mais jovem. 

A Elysium vende, por 60 dólares, um frasco com cápsulas suficientes para um mês de uso. Há planos de assinatura que baixam um pouco esse preço.

É o tipo de empreendimento que vem atraindo muito dinheiro. O Google, por exemplo, investe ambiciosamente nessa área por meio da Calico Labs. 

E a Sirtris, uma empresa que vinha desenvolvendo uma forma potente de resveratol, foi comprada em 2008 pelo laboratório GlaxoSmithKline por impressionantes 720 milhões de dólares.

Uma vantagem da Elysium sobre a maioria das concorrentes é que – por vender um suplemento alimentar em vez de um medicamento – ela não precisa aguardar o longo processo de teste e aprovação para a venda de medicamentos. 

Em vez disso, a empresa pode começa a ganhar dinheiro já.