Ciência

Observar a sazonalidade dos alimentos pode garantir economia e sustentabilidade

Saber quando é a época de colheita das frutas, verduras e legumes pode beneficiar o bolso do consumidor e dos comerciantes e evitar desperdícios

Vegetais plantados e colhidos na época certa ainda são mais nutritivos e precisam de menos agrotóxicos (Fotografía de eLuVe/Getty Images)

Vegetais plantados e colhidos na época certa ainda são mais nutritivos e precisam de menos agrotóxicos (Fotografía de eLuVe/Getty Images)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 31 de julho de 2023 às 08h00.

Última atualização em 17 de outubro de 2023 às 13h05.

Levar em consideração a sazonalidade dos alimentos na hora de ir às compras pode render economia aos consumidores e, para o mercado, a alta procura pelos chamados ‘alimentos da época’

De acordo com um levantamento da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo, a Ceagesp, feito em 2022, é estimado que um consumidor que opte por alimentos sazonais possa ter o valor de sua compra reduzido em até 30% optando por vegetais da época.

Esse fenômeno acontece pela lei da oferta e procura e pelo baixo custo de produção. Ou seja, quando há abundância de um produto, ele é vendido por um valor inferior e quando há escassez, os preços sobem. Não à toa, efeitos climáticos, como geadas, chuvas ou queimadas influenciam diretamente na inflação ou deflação de um alimento.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), informa que a estação da colheita dos alimentos pode ser dividida em três fases, que interferem diretamente no bolso dos consumidores: o período da safra, com preços baixos e maior qualidade dos produtos; período de início ou de final de safra, com preços intermediários e período de entressafra, com preços mais elevados.

Sazonalidade também é sustentabilidade e qualidade

Todo alimento se desenvolve melhor em temperaturas e condições de solo específicas e, se produzidos na época certa, precisam de menos agrotóxicos e menos intervenções humanas para resultarem em uma colheita volumosa e de qualidade.

Falando em qualidade, consumir os produtos em seu período de safra ideal é também garantia de mais sabor, mais frescor e mais nutrição. Alguns estabelecimentos, inclusive, disponibilizam aos clientes uma tabela de sazonalidade para ajudar a identificar os produtos da estação.

Alimentos como abacaxi, mamão, manga, banana, abobrinha, beterraba, alface, repolho e rúcula têm melhores safras em períodos mais quentes, como o verão. E as temperaturas mais frias são ideais para a produção de itens como morango, maracujá, tomate, uva, cenoura, ervilha, mandioca, couve, cebolinha e palmito.

Acompanhe tudo sobre:NetZeroAlimentaçãoSustentabilidadeAlimentando o Planeta

Mais de Ciência

Qual é o pior alimento ultraprocessado? Especialista responde

'Ozempic em cápsula': Pfizer testa pílula diária de emagrecimento

OMS pré-qualifica primeiro autoteste para hepatite C

“Pior dor do mundo”: como é o tratamento para aliviar os sintomas da neuralgia do trigêmeo

Mais na Exame