O que é a fosfina, substância encontrada por cientistas em Vênus

Ela pode ser produzida por bactérias em ambientes de pouco oxigênio, o que levou cientistas a acreditar na possibilidade de microrganismos em Vênus

A fosfina, um químico conhecido como uma forma de veneno, virou assunto nesta segunda-feira, 14, após cientistas anunciarem ter encontrado a substância na superfície de Vênus, o que poderia indicar a existência de vida molecular naquele planeta. A pesquisa foi publicada na prestigiada revista científica Nature Astronomy.

A existência de fosfina em Vênus significa que algo mortal ronda o planeta: o gás é altamente tóxico, inflamável e é comumente utilizado para suprimir formas de vida que precisam de oxigênio para sobreviver.

Em planetas rochosos, como a Terra e Vênus, a fosfina é produzida por alguma forma de vida — seja sintética ou como um subproduto da existência de algumas bactérias anaeróbicas que vivem em ambientes com pouco oxigênio, a exemplo de pântanos e aterros de lixo. Os astrônomos ainda não coletaram espécimes de eventuais micróbios de Vênus e não têm imagens deles.

O fenômeno chamou a atenção não apenas porque pode haver vida no planeta vizinho mas também porque é curioso. Não deveria haver fosfina na atmosfera de Vênus: o químico é difícil de sintetizar e outros compostos presentes nas nuvens do planeta deveriam destruir as moléculas de fosfina antes que elas pudessem acumular em montantes observáveis. Por esse motivo, de acordo com cientistas, é muito cedo para fazer afirmações concretas, já que o achado pode inclusive ter relação com falha na observação ou análise dos dados.

Por aqui, a fosfina já foi utilizada como arma química durante a Primeira Guerra Mundial e ainda hoje é fabricada como pesticida, além de ter algumas aplicações na indústria de semicondutores. A fosfina também é um subproduto de laboratórios que produzem a droga metanfetamina.

Se ela estiver realmente na superfície de Vênus pode significar a existência de vida anaeróbica no planeta, ou ainda que um novo tipo de síntese química entre fósforo e hidrogênio (subprodutos da fosfina) pode ser feita naturalmente. Especialistas observam a existência de fosfina em outros planetas, como Júpiter e Saturno, que, diferentemente de Vênus, são gasos.

Caso exista algum tipo de vida microbiótica em Vênus que esteja gerando a fosfina, ela sobrevive em um ambiente inóspito.

O planeta é rochoso e tem mais ou menos o mesmo tamanho da Terra, o que indica gravidade semelhante, e por isso foi visto por cientistas, como Carl Sagan, como um possível local habitável. Apesar disso, Vênus está submetido a temperaturas altíssimas, que beiram os 462º Celsius, e nuvens tóxicas, compostas basicamente de dióxido de carbono e ácido sulfúrico. Essa camada é tão espessa e condensada que uma pessoa na superfície do planeta estaria submetida a uma pressão excruciante, de 90 vezes a que existe na Terra.

 

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.