No Vietnã, coronavírus tem variante três vezes mais infecciosa

País parecia ter vencido o vírus sem maiores problemas, mas a situação se reverteu

Até abril, o Vietnã não tinha nenhuma morte registrada pelo novo coronavírus e era considerado um exemplo na luta contra a doença.

Em maio, o país parecia ter vencido a covid-19. Até 29 de julho, o país era o mais populoso no mundo sem nenhuma morte pelo coronavírus no mundo, com 95 milhões de habitantes.

Mas a sorte não durou muito. No início de agosto, o país viu o número de casos chegar a 642 e seis mortes e identificou uma variante três vezes mais infecciosa do vírus. Somente no domingo, foram confirmados 34 casos da doença.

O ministro da Saúde do país, Nguyen Thanh Long, afirmou à agência de notícias Reuters que o novo surto do SARS-CoV-2 é mais contagioso do que o anterior. Segundo ele, cada pessoa infectada é capaz de infectar de cinco a seis outros indivíduos. Em janeiro, quando a doença chegou no país, o nível de infecção era de 1,8 a 2,2 pessoas por doente.

Segundo cientistas vietnamitas, as variações já foram vistas anteriormente em Bangladesh, no Reino Unido e na Irlanda.

Para tentar estancar a pandemia, na semana passada o governo suspendeu todos os voos da cidade turística de Danang por até 15 dias. Ainda não se sabe o motivo de a doença ter voltado a aparecer no local — nem o porquê de ela estar tão forte assim.

O governo, na época, não fez nenhuma ligação entre a imigração ilegal e os novos casos, mas ordenou que as fronteiras tivessem o policiamento reforçado. Negócios não essenciais, como bares e boates, também foram fechados e reuniões e festas com mais de 30 pessoas foram banidas.

As autoridades relataram novos casos ligados a Danang, no Vietnã central, um ponto turístico onde o primeiro caso de transmissão no país foi detectado.

A fonte do novo surto não é clara, mas sabe que se espalhou para pelo menos 10 lugares, incluindo a capital Hanoi, no norte, e o centro comercial da cidade de Ho Chi Minh, no sul, infectando quase 200 pessoas.

Quatro casos foram encontrados em fábricas localizadas nos parques industriais de Danang, onde empregam ao menos 77.000 pessoas, disse o jornal Lao Dong.

O caminho do contágio

Agora, o Vietnã não planeja introduzir um bloqueio generalizado além das áreas consideradas epicentros do atual surto, disse o porta-voz do governo.

“Se houver uma infecção em uma aldeia, nós a trancaremos apenas, não todo o distrito ou toda a província”, informou Mai Tien Dung durante entrevista coletiva.

Para combater o surto, o governo planeja testar toda a população de Danang, assim como manter a proibição do funcionamento de locais de entretenimento e de entrada e saída na cidade, movimento este iniciado na semana passada. Buon Ma Thuot, uma cidade na região de Highlands, região produtora de café do Vietnã, também foi fechada nessa segunda-feira.

Assintomáticos

Segundo o governo, vinte e três por cento das infecções mais recentes são assintomáticas, o que significa que as pessoas infectadas com o vírus não apresentam sintomas da doença respiratória por covid-19.

 

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.