Nasa fotografa nascimento de um buraco negro

O corpo celeste fotografado é o W49B, o que sobrou de uma supernova a 26.000 anos-luz de distância da Terra
Buraco negro: os astrônomos acreditam que este pode ser o buraco negro mais recente já detectado em nossa galáxia (X-ray: NASA/CXC/MIT/L.Lopez et al; Infrared: Palomar; Radio: NSF/NRAO/VLA)
Buraco negro: os astrônomos acreditam que este pode ser o buraco negro mais recente já detectado em nossa galáxia (X-ray: NASA/CXC/MIT/L.Lopez et al; Infrared: Palomar; Radio: NSF/NRAO/VLA)
V
Vanessa DarayaPublicado em 18/02/2013 às 10:46.

São Paulo – A Nasa divulgou a imagem do que pode ser o nascimento de um buraco negro. O corpo celeste fotografado é o W49B, o que sobrou de uma supernova a 26.000 anos-luz de distância da Terra.

Os astrônomos acreditam que este pode ser o buraco negro mais recente já detectado em nossa galáxia. Segundo a Nasa, é possível ver da Terra o momento em que o objeto tinha 1.000 anos de idade. Isso porque a luz viaja a cerca de 300.000 km/s. Por isso, a luz de objetos a milhões de quilômetros levam milhares de anos para chegar ao nosso planeta.

Para criar essa imagem, os cientistas usaram o Observatório de Raios-X Chandra, o Observatório Very Large Array e o Observatório Palomar. Assim, os pesquisadores reuniram dados em Raio-X, em rádio e em infravermelho.

Agora, a Nasa tentará descobrir como esse corpo celeste se formou. O que se sabe até agora é que o formato da supernova indica que houve uma morte incomum da estrela. Isso porque o material próximo aos polos da estrela foi ejetado a uma velocidade muito maior do que o material que emana de seu equador.

Além disso, as evidências de que a supernova gere um buraco negro são fortes porque estrelas que viram supernovas costumam criar uma estrela de nêutrons muito densa, vistas por ondas de raios-X ou de rádio. Mas, nesse caso, os cientistas não encontraram nenhum sinal comum. Por isso, eles levantaram a hipótese de que a explosão da estrela formou um buraco negro.