Misteriosa nave espacial militar americana prepara retorno

Nave espacial militar X-37B esteve nos últimos 22 meses na órbita da Terra em missão secreta

São Paulo - O que a misteriosa nave espacial militar X-37B esteve fazendo nos últimos 22 meses, período em que passou na órbita da Terra em missão secreta? Especialistas e fanáticos por tecnologia aeroespacial têm se debruçado sobre o mistério, enquanto a nave se prepara para voltar à Terra.

De acordo com a Reuters, o pouso deve ser realizado nesta terça-feira (14).

Conhecida como Veículo de Teste Orbital, a nave robô está em órbita desde dezembro de 2012, e completa nesta segunda 671 dias no espaço. Sua missão é totalmente secreta, e as especulações variam de testes com tecnologia de monitoramento até a busca por vida alienígena. Vale lembrar que nenhuma dessas teorias tem fundamento em declarações oficiais.

"A equipe Vandemberg está pronta para implementar as operações de segurança de pouso para o Veículo de Teste Orbital X-37B, a terceira vez para esta missão única", disse o Coronel Keith Baits em declaração emitida na última sexta-feira.

A Força Aérea americana possui duas naves X-37B construídas pela divisão Phantom Works da Boeing. A nave é uma versão menor dos ônibus espaciais da NASA, com 8,8 metros de comprimento. Sua envergadura é de 4,6 metros, com um espaço de carga do tamanho da caçamba de uma caminhonete.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.