Miami oferece vacina contra covid no aeroporto a partir de hoje

Imunizante é oferecido para viajantes que vivem ou trabalham na Flórida, mas na prática não é exigido comprovante de residência. Na praia, turistas latino-americanos têm sido vacinados

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Pessoas de passagem pelo aeroporto internacional de Miami podem ser vacinados contra a covid-19, desde que sejam funcionários locais ou que vivam e trabalhem no estado da Flórida. A medida começa a valer a partir de hoje, segunda-feira 10.

Na prática, porém, não é exigido nenhum comprovante de residência. Basta apresentar um documento com foto, que pode ser o passaporte. A vacinação acontecerá em dois postos do aeroporto, para maiores de 16 anos. Nessa primeira fase, a vacinação acontecerá dessa segunda até sexta-feira 14. Depois, será retomada a partir de 1º de junho.

A vacina aplicada será a da Pfizer. A segunda dose deve ser tomada depois de 21 dias depois da primeira.

Neste domingo, dezenas de turistas latino-americanos foram vacinados na praia de Miami Beach, Flórida, em um posto que oferecia a dose única da Janssen, da Johnson & Johnson, segundo a agência France Presse. Passaram por lá viajantes de países como Honduras, México, El Salvador, entre outros.

A fila para vacinação se estendia na areia debaixo do sol quente. Os visitantes precisavam apenas completar um cadastro online. Na sequência recebiam o carnê de vacinação da Flórida. "Em meu país a covid-19 está ficando fora de controle e não há muita possibilidade de termos acesso à vacina em breve", declarou uma contadora hondurenha de 40 anos acompanhada dos pais, de 63 e 73 anos.

Para turistas em Nova York

Viajantes também poderão em breve ser vacinados em Nova York, declarou a prefeitura local na semana passada. Postos instalados em vans deverão ser montados em cartões-postais da cidade, como o Central Park e a Times Square. O fármaco oferecido será o da Janssen, de apenas uma dose.

"Venha para cá, é seguro, é um lugar bom para estar, e nós vamos cuidar de você", afirmou o democrata Bill de Blasio, prefeito de Nova York, ao anunciar o projeto. O plano ainda não tem data certa para entrar em vigor e depende de decisão do governo do estado.

Tanto Miami como Nova York têm arrecadação expressiva com o turismo. O número de visitantes caiu expressivamente com a disseminação do coronavírus. Espera-se que cerca de 34 milhões de pessoas visitem Nova York este ano, pouco mais da metade do número de 2019.

Os Estados Unidos já aplicaram ao menos uma dose da vacina a 150 milhões de pessoas, ou 45% da população. Cerca de 108 milhões de pessoas já estão completamente imunizadas.

O ritmo veloz de imunização aos moradores faz com que alguns estados americanos flexibilizem as normas iniciais e passem a atender também a viajantes, o que tem incentivado o chamado turismo da vacina.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.