Marte: rover Perseverance avista redemoinho de poeira pela primeira vez

O vídeo é a prova de que a paisagem do planeta não está estéril e que mais fenômenos naturais podem ser observados futuramente

O Perseverance continua explorando Marte e mandando novas notícias e descobertas para a equipe da Nasa. Desta vez, o rover conseguiu capturar filmagem de um redemoinho de poeira, que é como um "pequeno ciclone" que viaja pelo planeta vermelho.

Um redemoinho de poeira pode parecer relativamente normal para nós aqui da Terra, mas avistar algo assim em Marte é a prova de que o planeta não é apenas um amontoado de pedras e poeira estagnadas. Sua paisagem não está estéril e outros fenômenos naturais podem acabar sendo capturados conforme o rover avança.

Os redemoinhos deixam rastros na superfície de Marte porque eles perturbam uma camada de poeira fina e brilhante que cobre a maior parte da superfície do planeta. Quando um redemoinho de poeira passa, ele sopra o revestimento e expõe a superfície escura subjacente.

Veja o redemoinho de poeira em Marte:

Apesar de ser a primeira vez do Perseverance avistando o fenômeno, o rover Curiosity também gravou imagens um redemoinho de poeira com uma de suas câmeras de navegação em agosto de 2020.

Curiosity grava redemoinho de poeira em 2020 Cena capturada pelo rover Curiosity em agosto de 2020 mostra redemoinho de poeira em Marte

Cena capturada pelo rover Curiosity em agosto de 2020 mostra redemoinho de poeira em Marte (Nasa/Reprodução)

Os próximos passos do Perseverance são relacionados ao Ingenuity ("inventividade" em português), um helicóptero-drone movido a energia solar colocado dentro de sua “barriga”. Os voos de teste do drone devem começar no máximo na primeira semana de abril, de acordo com comunicado da Nasa.

O que é a missão Perseverance da Nasa?

No dia 18 de fevereiro, o rover Perseverance ("perseverança", em português) pousou em solo marciano com o objetivo de buscar por sinais de vida no planeta vermelho.

O rover irá analisar a geologia e procurar pistas sobre como era o clima de Marte no passado, abrindo caminho para exploração humana. Ele também irá coletar rochas e sedimentos do local para serem analisados posteriormente na Terra, algo nunca antes feito no planeta.

A espaçonave, que viajou por volta de 468 milhões de quilômetros desde o seu lançamento no dia 30 de julho de 2020, pousou na cratera de Jezero, uma bacia no planeta vermelho, onde os cientistas acreditam que um antigo rio desaguou em um lago e depositou sedimentos. Eles consideram provável que o ambiente tenha preservado sinais de alguma vida que tenha habitado Marte até bilhões de anos atrás.

Desde sua chegada, o rover já divulgou vídeos da sua descida, o primeiro áudio de Marte e fotos inéditas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também